Bolsas

Câmbio

Apple continua crescendo graças à expansão de linha de produtos

Alex Webb

(Bloomberg) -- Em 2010, antes de se tornar CEO da Apple, Tim Cook disse que todos os dispositivos da empresa cabiam em uma mesa, argumentando que desse foco resultavam produtos melhores.

Na época, o site da empresa oferecia 14 produtos da Apple. Hoje, sob o comando de Cook, a linha cresceu para 27 produtos disponíveis em mais de 200 versões diferentes. A estratégia - uma ruptura com a abordagem minimalista do cofundador Steve Jobs - está ajudando a Apple a crescer apesar da estagnação do mercado de seu produto mais importante, os smartphones.

Produtos como o Apple Watch e os fones de ouvido sem fio AirPod, junto com mais versões do iPhone e uma disparada das vendas de uma variedade cada vez maior de serviços de software, deram impulso ao crescimento da receita no trimestre mais recente. Isto compensou que as vendas unitárias de celulares tenham sido mais fracas que o esperado e ajudou a Apple a superar US$ 800 bilhões em valor de mercado nesta semana - um feito inédito para uma empresa dos EUA.

"Depender de um único produto gerava receios, mas eles conseguiram encontrar formas não necessariamente inovadoras de continuar sustentando o crescimento", disse Walt Piecyk, analista da BTIG. A divisão de serviços sustenta as margens de lucro "e a empresa consegue manter o crescimento graças a produtos periféricos, como AirPod e Apple Watch".

A Apple está em uma posição muito diferente da época em que Cook fez o comentário sobre a mesa em uma conferência com investidores, há sete anos. Naquele ano fiscal, a receita deu um salto de 52 por cento porque os consumidores corriam para comprar mais iPhone. Agora que a maioria dos consumidores do mundo desenvolvido já usa smartphones e a receita anual da Apple supera US$ 200 bilhões, é mais difícil crescer.

A categoria "Outros Produtos" da Apple está compensando parte disso. As vendas de dispositivos como AirPod, Apple Watch, os fones de ouvido Beats e a Apple TV deram um salto de 31 por cento, para US$ 2,87 bilhões, no segundo trimestre fiscal. Em 2 de maio, Cook disse que as vendas do Watch quase dobraram em relação ao ano anterior e comparou esse apêndice dos negócios da Apple a uma empresa da Fortune 500.

A Apple obtém quase dois terços da receita com o iPhone, em comparação com 39 por cento em 2010. Contudo, hoje essas vendas vêm de 58 versões diferentes do dispositivo, frente a cinco opções em 2010.

A receita obtida com serviços aumentou 18 por cento no último trimestre, e Cook projeta que a divisão de US$ 24 bilhões no ano passado dobrará de tamanho até 2020. Isso poderia ajudar a manter altas as margens de lucros mesmo com a apresentação do iPhone 8, porque a receita obtida com serviços é mais rentável.

Embora haja muita esperança para as vendas do iPhone 8, o salto recente nas ações da Apple foi provocado por "uma maior fé no valor da franquia da empresa', escreveu o analista de UBS Steven Milunovich em uma nota recente intitulada "Ecosystem Growth Suggests Antifragility".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos