Bolsas

Câmbio

Theresa May recruta exército de candidatos a favor do Brexit

Joe Mayes, John Ainger e Tom Beardsworth

(Bloomberg) -- A primeira-ministra britânica, Theresa May, está armando seu Partido Conservador com um exército de candidatos céticos em relação à União Europeia para as eleições do mês que vem, em busca de reforços na batalha para separar o Reino Unido do bloco.

A Bloomberg News sondou as opiniões de candidatos a 60 dos assentos mais ao alcance do partido de May e concluiu que a maioria votou pelo Brexit um ano atrás. Dos 52 candidatos conservadores do grupo (cujas posições foram verificadas por declarações e entrevistas), 34 apoiaram o Brexit em junho do ano passado, 17 queriam permanecer na UE e um se absteve.

A margem de quase dois para um a favor da saída da UE mostra como as eleições de 8 de junho podem provocar uma mudança dramática no Parlamento, que terá mais legisladores a favor do Brexit dando retaguarda a May.

Deste modo, ela teria mais poder para realizar um divórcio focado em retomar o controle sobre leis e imigração e menos voltado para o comércio. A análise também esfria especulações de que primeira-ministra pode adotar uma abordagem mais suave se garantir a maioria esmagadora que preveem as pesquisas de intenção de voto.

"O equilíbrio geral do Parlamento aparentemente vai pender para um Brexit mais duro do que se May não tivesse convocado eleições", disse Mujtaba Rahman, diretor-gerente do Eurasia
Group.

Na composição anterior, May tinha maioria de 17 no Parlamento. Agora, mais parlamentares que apoiaram o Brexit desde o início tornariam mais fácil para May aprovar leis relativas à separação e o acordo final que ela negociar. Depois que ela assumiu o cargo, em julho, gente de seu próprio partido questionou a estratégia dela para o Brexit.

A Bloomberg estudou candidatos aos 12 assentos dos quais um legislador conservador se retirou e aos 48 assentos que o partido perdeu por pouco nas eleições de 2015. No último caso, 27 candidatos votaram pelo Brexit, 13 contra e um não se decidiu. Os demais não quiseram comentar ou não foram encontrados.

Sangue novo

Os resultados sugerem a entrada de uma leva de novos legisladores conservadores que acreditam mais no Brexit do que o país como um todo ou do que a câmara baixa anterior.

No referendo de junho do ano passado, 52 por cento do eleitorado foi a favor do Brexit e 48 por cento contra. Na ocasião, uma análise do website ConservativeHome concluiu que 185 legisladores do Partido Conservador defendiam a permanência no bloco e 128 a saída, em uma divisão distinta, de 56 por cento vs. 39 por cento.

Uma pesquisa divulgada pela YouGov nesta semana sugere que 68 por cento do eleitorado agora acredita que o governo tem o dever de executar o Brexit.

"Eu apoio o Brexit e realmente acredito que, embora o percurso adiante talvez tenha alguns solavancos, o desfecho será benéfico", disse Peter Anthony, candidato do Partido Conservador ao distrito de Blackpool South, que o Partido Trabalhista levou com uma vantagem de apenas 2.585 votos em 2015. "Ter comando de suas fronteiras, leis e seu destino é essencial em um país democrático."

Este é o sentimento que prevalece também em distritos dos quais legisladores conservadores se aposentaram para dar lugar a sangue novo. Sete candidatos a esses distritos votaram pela saída da UE e quatro pela permanência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos