Bolsas

Câmbio

Falta de pessoal pode gerar bolha de oferta de petróleo em 2018

Joe Carroll e David Wethe

(Bloomberg) -- Os exploradores de xisto que visam expandir a produção de petróleo estão tendo dificuldades para achar suficiente pessoal para o fraturamento hidráulico após a demissão de milhares de trabalhadores durante a forte queda dos preços do petróleo bruto.

Perfuradores independentes dos EUA não chegaram a gastar US$ 2,5 bilhões de seus orçamentos combinados para o primeiro trimestre, em grande parte porque não conseguiram achar suficiente pessoal para fazer todo o trabalho planejado de fraturamento hidráulico, segundo a Infill Thinking, empresa de pesquisa e consultoria focada em serviços e exploração de campos de petróleo. Se a escassez continuar, os aumentos de produção planejados para o terceiro trimestre poderiam ser adiados para 2018, criando um aumento de produção não esperado com consequências "assustadoras" para os preços do petróleo, disse Joseph Triepke, o fundador da Infill.

Em alguns casos, equipes ativas estão abandonando empregos que aceitaram meses atrás -- e pagando multas por rescisão antecipada -- para ir trabalhar com outros exploradores ganhando melhor. Os trabalhadores ganham de US$ 29.000 a US$ 72.000 por ano sem contar horas extras, dependendo da empresa e da região.

O mercado de fraturamento hidráulico ajustado "significa que o crescimento da produção de petróleo dos EUA neste ano estará concentrado no segundo semestre e talvez só entendamos a magnitude completa do crescimento da produção dos EUA no começo de 2018", disse Triepke, que foi analista da Surveyor Capital, unidade da Citadel. "Este ponto é particularmente assustador para quem estiver torcendo por uma alta dos preços do petróleo."

Custos

Uma equipe de trabalho normalmente é composta por 25 a 30 trabalhadores que operam uma enorme variedade de poderosas bombas montadas sobre caminhões, tanques de armazenamento para fluídos e areia, mangueiras, medidores e equipamento de segurança. O fraturamento hidráulico, que injeta toneladas de água, areia e produtos químicos em um poço para explodir a rocha que circunda o petróleo e o gás, é a parte mais cara da perfuração de um poço e normalmente representa cerca de 70 por cento do custo total.

Por enquanto, perfuradores independentes de xisto acreditam que conseguirão achar uma ampla capacidade de fraturamento hidráulico e mantêm intactas suas ambiciosas metas de crescimento da produção de dois dígitos. O petróleo bruto West Texas Intermediate, a referência para os EUA, se encaminha para o segundo avanço semanal à medida que os estoques nos EUA caem, e a Arábia Saudita e a Rússia se mostram dispostas a prolongar reduções de produção que aumentam os preços.

Contudo, essas iniciativas poderiam ser frustradas nos próximos meses se os exploradores de xisto criarem uma bolha de oferta maior que a esperada.

"Todos os donos de bombas de pressão dizem que têm pedidos para cobrir o terceiro trimestre inteiro e alguns vão até o primeiro trimestre de 2018", disse Andrew Cosgrove, analista da Bloomberg Intelligence.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos