Bolsas

Câmbio

Experimento transforma canadenses em reis do óleo de cozinha

Jen Skerritt

(Bloomberg) -- No coração da região considerada celeiro do Canadá, uma unidade de processamento da Richardson International é testemunha daquele que pode ser o experimento agrícola de maior sucesso do país.

Os produtores das Pradarias Canadenses estão plantando uma área recorde de canola, cultura que não existia há cerca de quatro décadas, mas que agora é a maior do país e ocupa uma área superior à do trigo de primavera. A Richardson foi a primeira empresa a vender óleo de canola. Desde então, ela expandiu a capacidade de fábricas como a de Lethbridge, Alberta, até que houve uma explosão da demanda global e o Canadá se transformou no maior exportador de uma oleaginosa usada em tudo, desde tempero para saladas até batata frita.

A unidade da Richardson atualmente se expande por seis quarteirões -- uma série de máquinas de esmagamento, correias transportadoras, ligações ferroviárias e silos de grãos dedicados inteiramente à canola. Após uma atualização de 120 milhões de dólares canadenses (US$ 89 milhões) que expandiu sua capacidade em 55 por cento, a planta poderá processar 700.000 toneladas por ano, possibilitando a ampliação das exportações de óleo e produtos relacionados, como margarina e cobertura amanteigada para pipocas.

"É quase um movimento constante" de jarros, barris e garrafas de óleo transportadas para mercados, restaurantes fast-food, hospitais e padarias todos os dias úteis da semana, disse Steve Scott, gerente de manutenção da planta. Apontando para um carro-tanque capaz de transportar 80 toneladas, ele disse que "uma grande fábrica de batata frita receberá alguns desses por semana".

Os cientistas canadenses inventaram a canola em 1974 eliminando características indesejadas de uma planta chamada colza, mas a nova cultura recebeu o nome "canola" apenas em 1978.

A semente tem mais que o dobro da quantidade de óleo da soja e o óleo de canola se tornou popular na culinária, por exemplo para frituras profundas. Ela é rica em ácidos graxos saudáveis para o coração como os encontrados no salmão e no atum, que reduzem o colesterol ruim e ajudam a controlar o nível de açúcar no sangue, e não possui gordura trans, conhecidas por entupir artérias. O óleo de canola possui em torno de 7 por cento de gordura saturada, cerca de metade da apresentada pelo azeite de oliva e uma fração do teor presente no óleo de palma, segundo o Conselho de Canola do Canadá.

"O perfil de óleo saudável de que a canola desfruta o manterá popular", disse David Reimann, analista de mercado em Winnipeg, Manitoba, da Cargill, a maior empresa agrícola do mundo. "Este é um mercado realmente enorme e que certamente pode tolerar uma área de plantio e uma produção muito maiores."

Os fazendeiros estão fazendo exatamente isso. Apesar de o plantio estar um pouco atrasado devido ao clima úmido, os produtores canadenses plantarão 8,9 milhões de hectares de canola neste ano, a maior área da história do país, mostram dados do governo. O período de plantio terminará dentro de algumas semanas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos