Bolsas

Câmbio

Recovery quer ampliar para R$ 100 bi ativos sob gestão em 2018

Cristiane Lucchesi e Felipe Marques

(Bloomberg) -- A Recovery do Brasil, adquirida pelo Itaú Unibanco em abril de 2016, concluiu a fusão de seus sistemas internos com os do novo controlador e está pronta para acelerar o ritmo de suas aquisições, disse Flávio Suchek, presidente da Recovery, em entrevista.

"Agora estamos preparados para crescer", disse ele.

O plano da companhia é ter mais de R$ 100 bilhões em créditos inadimplentes sob sua administração até o final do próximo ano. O montante representa aumento de 43% em relação ao total atual, disse Suchek.

Segundo ele, a empresa está pronta para dobrar o total se tiver oportunidade. Depois de contratar 60 pessoas no ano passado, a Recovery passou a ter 300 empregados.

A Recovery comprou R$ 13 bilhões em créditos inadimplentes do Itaú em maio de 2016, uma transação que ajudou a testar seus sistemas internos, segundo o executivo.

"Agora estamos com foco no portfólio do Itaú que já teve baixa contábil".

A Recovery também está comprando ativos distressed de outros bancos e tentando recuperar portfólios de crédito, disse Suchek.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos