Bolsas

Câmbio

Startup pretende digitalizar setor de tatuagens

Nate Lanxon

(Bloomberg) -- Quase um quarto de todos os adultos nos EUA e no Reino Unido agora tem tatuagem, e uma startup sueca pretende se tornar a Expedia dos desenhos na pele.

Fredrik Glimskär, um sueco cheio de tatuagens com formação em finanças e uma carreira em publicidade digital, lançou a plataforma virtual de comparação e reservas Inkbay em 2016, depois de receber 1,5 milhão de coroas suecas (US$ 173.000) da empresa sueca de capital de risco Zenith. Após incluir estúdios de tatuagem em Estocolmo, Gotemburgo e Malmo, ele agora conta com um financiamento adicional de 4 milhões de coroas para expandir para Londres neste verão boreal, e seus próximos destinos serão os EUA e Berlim.

Nos EUA, estima-se que as tatuagens sejam uma indústria de US$ 1 bilhão de acordo com a empresa de pesquisa IBIS World. Em 2016, eram cerca de 38.879 empresas de tatuagem registradas nos EUA, onde o mercado cresceu 13 por cento entre 2011 e 2016. Uma pesquisa da Harris publicada em 2016 concluiu que 3 de cada 10 adultos dos EUA têm pelo menos uma tatuagem ? assim como quase metade de todos os jovens americanos. Um outro estudo realizado por YouGov concluiu que 19 por cento de todos os adultos britânicos têm pelo menos uma tatuagem.

Embora a indústria da tatuagem seja lucrativa, ela continua fragmentada. Os clientes buscam estúdios de tatuagem através de recomendações pessoais e, cada vez mais, nas redes sociais. A Inkbay convida os estúdios a centralizar suas criações em uma plataforma onde os clientes podem reservar um horário por meio de uma taxa fixa, em vez da taxa por hora que os estúdios costumam cobrar para as reservas feitas pessoalmente. O preço médio pago por uma tatuagem no site é de cerca de 250 libras (US$ 322). A Inkbay leva uma fatia de 15 por cento, que pode ser paga com cartões de crédito ? algo incomum para a maioria dos estúdios, que normalmente só aceita dinheiro.

"A indústria da tatuagem sempre funcionou com o boca a boca", disse Glimskär. "Vários clientes estão fazendo coisas boas pelo setor, blogs enormes, diretórios de tatuagens. Mas ninguém está lidando com a transação em si."

Matt Lodder, professor de arte contemporânea e cultura visual na Universidade de Essex que estuda a indústria da tatuagem, acredita que o mercado talvez seja conservador demais para adotar um modelo de negócios revolucionário.

"Os estúdios de tatuagens não mudaram muito desde o final da década de 1980 neste país", disse Lodder. "A maioria dos tatuadores não aceita cartão de crédito; o negócio continua funcionando com o dinheiro na mão. Então, seria realmente surpreendente se alguém se apoderasse disso."

A internet também teve um efeito importante na indústria de tatuagens, diz ele. À medida que as lojas tradicionais desocuparam cada vez mais instalações para vender pela internet, as oportunidades de presença física aumentaram para empresas que simplesmente não podem fazer negócios pela internet, como tatuadores.

"É por esse mesmo motivo que vemos essa onda de barbeiros e cabeleireiros", diz Lodder. "É uma daquelas coisas que você não pode comprar pela internet. Muitos pontos que antigamente eram lojas agora estão ocupados por tatuadores, porque esse é o tipo de negócio que ainda precisa de instalações físicas. Não dá para mandar uma tatuagem pela internet."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos