Novartis estuda preço para tratamento inovador contra o câncer

James Paton e Caroline Chen

(Bloomberg) -- A Novartis, que deverá chegar antes que a Kite Pharma em uma das mais promissoras áreas novas da pesquisa contra o câncer, avalia como atribuir preço a um tratamento revolucionário a que os pacientes só precisarão se submeter uma única vez.

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, na sigla em inglês) provavelmente tomará uma decisão no início de outubro sobre o tratamento experimental chamado CTL019, disse Vas Narasimhan, chefe global de desenvolvimento de medicamentos e diretor médico da Novartis, em entrevista. O órgão regulador deverá tomar uma decisão em relação ao produto da Kite, desenvolvido para outro tipo de câncer no sangue, por volta de 29 de novembro.

Os dois tratamentos disputam para se tornar os primeiros medicamentos de sucesso em um campo emergente conhecido como CAR-T, no qual as células imunes do paciente são extraídas e modificadas geneticamente para caçar e matar o câncer e depois são devolvidas ao corpo. A Novartis poderá vincular o preço de seu tratamento aos resultados obtidos em cada paciente, segundo Narasimhan. A empresa também está utilizando transplantes de células estaminais -- que custam até US$ 800.000 cada -- como padrão.

"Estamos analisando diversas opções criativas", disse Narasimhan. "Ainda estamos nos estágios iniciais para definir qual será a abordagem correta."

Os tratamentos provavelmente não poderão ter preços muito superiores aos dos transplantes de células estaminais, segundo David Nierengarten, analista da Wedbush Securities. A Kite e a Novartis provavelmente têm preços similares em mente, mas aquela que for aprovada primeiro pode vir a garantir os leitos nos centros médicos que farão os procedimentos CAR-T ou conseguir estruturas de reembolso vantajosas, disse ele.

'Recebemos algo'

Os medicamentos CAR-T podem "ser precificados a um nível no qual recebemos algo pelo risco que assumimos, mas também devolvemos um enorme valor", disse o CEO da Novartis, Joe Jimenez, a investidores, em Boston, em 31 de maio. "Esta possível nova plataforma pode vir a ser um negócio bastante grande e rentável."

Jimenez mencionou estudos realizados para as autoridades de saúde do Reino Unido que mostram que os tratamentos podem ter bom custo-benefício a cerca de 583.000 libras (US$ 750.000). Um preço hipotético desse tipo está no "patamar certo", mas é improvável que seja aceitável para um pagamento único, segundo Stephen Palmer, professor da Universidade de York que ajudou a compilar o relatório.

O medicamento da Novartis aguarda aprovação para uma forma severa de câncer em crianças e jovens adultos conhecida como leucemia linfoblástica aguda, enquanto o alvo principal da Kite é o linfoma difuso de células B grandes (DLBCL, na sigla em inglês), que aflige um grupo maior de pessoas.

A farmacêutica suíça se voltará na sequência a esse mesmo tipo de câncer no sangue. Um estudo de estágio intermediário divulgado na quarta-feira, que avalia o tratamento contra DLBCL, revelou que mais de um terço dos pacientes havia eliminado a doença. Essas pessoas também não apresentaram retorno da doença, informou a companhia. Entre os efeitos colaterais estão sintomas do sistema nervoso e baixa contagem de glóbulos brancos, que foram classificados como severos ou ameaças à vida.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos