Bolsas

Câmbio

Primeiro voo do Airbus A330neo é adiado para novos testes

Benjamin D. Katz

(Bloomberg) -- Os atrasos do primeiro voo da atualização do jato Airbus A330neo foram provocados pela exigência inesperada de um teste extra dos motores do modelo, fabricados pela Rolls-Royce, segundo a fabricante de aviões.

A Rolls-Royce está tendo dificuldades para encontrar capacidade em suas áreas de testes para concluir as análises adicionais, disse o chefe de programas da Airbus, Didier Evrard, em entrevista. O imprevisto adiou o voo inaugural do jato do segundo trimestre para o fim do terceiro, e a entrada em operação agora está programada para o fim do primeiro semestre de 2018.

Apesar de a turbina Trent 7000 do A330neo ser derivada de um motor já usado no Boeing 787, a Rolls-Royce adicionou dutos que vão descarregar, ou "sangrar", ar quente sobre as asas do avião da Airbus para descongelamento. O avião da Boeing emprega um sistema completamente diferente para climas frios que apresenta esteiras de aquecimento embutidas.

"O principal problema não é o produto em si, é a carga de trabalho na Rolls-Royce e, particularmente, sua capacidade de teste", disse Evrard. "Nós adicionamos algumas funções como a função 'sangrar' que não estão no 787, por isso é preciso percorrer novamente todo o ciclo de desenvolvimento. Isto exige uma série de testes para certificar o motor."

Gargalo nos testes

A Rolls-Royce, que tem sede em Londres, afirmou em comunicado enviado por e-mail que continua trabalhando de perto com a Airbus no programa A330neo e que pretende enviar o conjunto inicial de motores Trent 7000 "nos próximos dias".

Evrard reconheceu que as primeiras turbinas estão "muito próximas" de serem embaladas e enviadas à base da Airbus em Toulouse, França, onde a fabricante de aviões possui duas fuselagens revisadas do A330 prontas e à espera. Até o momento, a fabricante garantiu 210 pedidos para o avião atualizado e a TAP deverá ser sua primeira operadora. A empresa aérea portuguesa informou em dezembro que seu primeiro jato seria adiado do fim deste ano para março de 2018.

A Rolls é a única fornecedora de motores para o jato de fuselagem larga Airbus A350, que está tendo sua produção ampliada após 49 entregas no ano passado. A turbina Trent XWB para a maior variação -1000 do avião está se aproximando da certificação. Em paralelo, o motor do 787-10 também está em fase final de desenvolvimento na fabricante britânica.

Apesar de a Rolls-Royce ter expandido as instalações de testes de sua planta principal em Derby, e também na Alemanha e na Espanha, para lidar com a carga de trabalho, Evrard disse que os estresses são inevitáveis.

"Há aumentos de produção e novos desenvolvimentos por todos os lados", disse ele. "Na verdade é com isso que eles vêm tendo dificuldade."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos