Dono da Inter de Milão negocia expansão de império no futebol

Bloomberg News

(Bloomberg) -- A empresa que pagou um recorde de 8 bilhões de yuans (US$ 1,2 bilhão) pelos direitos de transmissão e streaming da principal liga de futebol da China afirmou que seu acionista controlador negocia a venda de parte ou da totalidade de sua fatia na gigante do varejo Suning Holdings Group.

O presidente do conselho da China Sports Media, Li Yidong, disse em entrevista na semana passada que a Suning está negociando a compra de até 56 por cento da empresa, participação que poderia estar avaliada em cerca de 2,8 bilhões de yuans. A China Media Capital, empresa de capital fechada comandada pelo magnata da mídia Li Ruigang, possui a participação que está em discussão, disse ele.

A China Media Capital, também conhecida como CMC, continuará enriquecendo e expandindo os investimentos nos esportes, especialmente no futebol, informou a empresa em resposta enviada por e-mail a um pedido de comentário sobre as negociações. A Suning não respondeu imediatamente aos pedidos de comentário.

Para o bilionário presidente do conselho da Suning, Zhang Jindong, que fez fortuna no varejo, a aquisição do controle da China Sports Media vai ao encontro de suas ambições de criar uma gigante no futebol depois de adquirir o clube italiano Inter de Milão e o time local Jiangsu Suning. Ele faz parte do crescente número de magnatas chineses que está abraçando a iniciativa do governo de transformar o futebol com o objetivo de construir um mercado esportivo de 5 trilhões de yuans no país até 2025.

"Sem o desenvolvimento do futebol não é possível imaginar como a indústria dos esportes na China poderia se desenvolver", disse Li, que não tem relação com o chefe da CMC. Ele disse que a avaliação da participação da CMC se baseou em uma transação recente que calculou o valor da China Sports Media, ou CSM, em 5 bilhões de yuans.

As discussões sobre venda surgiram de conversas anteriores entre a CSM e a unidade de streaming da Suning, a PPTV, sobre direitos de mídia, disse Li, da CSM. O acordo de streaming de quatro anos que as duas empresas assinaram gerará uma receita suficiente para cobrir o investimento de 8 bilhões de yuans em direitos pela empresa, que teve um lucro líquido de 160 milhões de yuans no ano passado, disse Li.

No ano passado a PPTV fechou acordo de US$ 650 milhões pelos direitos da Premier League inglesa e em março deste ano assumiu os direitos da Super Liga Chinesa por um montante inicial de 1,3 bilhão de yuans.

O futebol não é a única aposta da CSM.

A CSM está preparando uma oferta neste mês pelos direitos da principal liga de basquete da China, disse Li. O montante que a empresa estará preparada para pagar por esses direitos pode ser reduzido se a liga levar adiante algumas mudanças propostas que limitariam o número de atletas estrangeiros caros e forçariam as equipes a contratarem jogadores mais jovens.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos