Donos de carros Rolls-Royce são mais jovens do que você pensa

Hannah Elliott

(Bloomberg) -- A Rolls-Royce pode não te impressionar no quesito dinamismo. Afinal, essa instituição de 111 anos não tem nenhuma pressa para produzir seus imponentes carros de meio milhão de dólares. O sedã Phantom de três toneladas, por exemplo, exige mais de 800 horas de trabalho da equipe da marca em Goodwood, Inglaterra, antes de ser entregue pessoalmente ao seu dignitário em algum local exótico.

Mas, segundo o CEO Torsten Müller-Ötvös, a maior parte dos compradores da marca é surpreendentemente jovem.

"Estamos vendo, nesse segmento de indivíduos de crescimento ultraelevado, uma queda rápida da média de idade", disse Müller-Ötvös. "É fantástico, realmente."

Na prática, isso significa que a média de idade global de um cliente da Rolls-Royce é de 45 anos, contra uma média de 56 registrada há sete anos, disse ele. Trata-se de uma média de idade menor que a dos compradores de automóveis em geral, que está em torno de 52, e menor também que a média de idade dos compradores de carros de luxo, que é de 50, segundo os dados fornecidos à Bloomberg pela Kelley Blue Book.

A Buick, por exemplo, tem uma idade média de compra de 59 anos. Na Cadillac, a média é de 52, na Mercedes-Benz é de 51 e na BMW, de 50, segundo a KBB. O cliente médio da Land Rover tem 45 anos, o mais jovem de todas as empresas incluídas nos dados. (A Rolls-Royce não estava entre as marcas analisadas nesse relatório -- seus números são internos). A Bentley, uma concorrente mais próxima da Rolls-Royce, informou que a média de idade de seus compradores era de 56,2 anos em 2014, mas que esse número provavelmente seja mais baixo atualmente.

Consiga esse dinheiro

Por que é importante atrair um grupo de compradores mais jovens? Por um lado, isso evita a hipotética eventualidade de os clientes acabarem morrendo. Compradores mais velhos tendem a ser compradores leais, mas à medida que envelhecem, o total de clientes naturalmente diminui.

De forma mais imediata, a questão está relacionada à imagem da marca. Se os carros são conduzidos por aposentados, o resto do mundo inevitavelmente associa a marca à idade desse grupo. Isso não fomenta exatamente uma expectativa de compra futura.

"Se a marca é atraente apenas para compradores mais velhos, ela não está ampliando esse grupo", disse Stephanie Brinley, analista sênior para as Américas da IHS Automotive. "Se a marca não se conecta, pelo menos como objeto de aspiração, com os compradores mais jovens, é provável que eles não pensem nela quando chegarem aos 45 ou 50 anos e puderem comprar seu produto."

Fator positivo

A razão para a juventude relativa dos compradores da Rolls tem a ver com a forma em que eles estão gerando sua riqueza, disse Müller-Ötvös. Ele nota que, diferentemente do que ocorria nas décadas anteriores, quando comprar um Rolls do papai era uma opção viável e respeitável, as pessoas que aparecem em suas concessionárias fizeram sua própria fortuna.

"Já não se trata de dinheiro herdado", disse ele. "A maior parte é dinheiro próprio de pessoas muito jovens que já estão fazendo fortunas, seja no ramo imobiliário, seja na engenharia, seja em tecnologia da informação, seja em entretenimento ocidental, seja no que for."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos