Bolsas

Câmbio

Nem Hollywood pode resgatar crescimento de bilheterias na China

Bloomberg News

(Bloomberg) -- As receitas de bilheteria da China caíram no mês passado, quando os sucessos de Hollywood foram insuficientes para compensar o desempenho ruim dos filmes locais.

As vendas de entradas de cinema caíram 5 por cento em junho, para 25,5 bilhões de yuans (US$ 3,8 bilhões), segundo dados do aplicativo de ingressos e monitor on-line Maoyan.com. A receita subiu 3,7 por cento no primeiro semestre, resultado muito abaixo da média de mais de 35 por cento de crescimento ao ano dos cinco anos anteriores a 2016.

Os resultados mensais e do primeiro semestre derrubaram as previsões que apontavam que filmes como "Transformers: O Último Cavaleiro", da Paramount Pictures, e "Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar", da Walt Disney, atrairiam um número de espectadores suficiente para reanimar o mercado. Neste mês, a PriceWaterhouseCoopers adiou a previsão de quando o mercado cinematográfico da China deve superar os EUA de 2017 a 2021.

"No primeiro semestre, os títulos domésticos caíram de uma forma geral e o mercado ficou muito dependente dos filmes importados de Hollywood, cuja qualidade não correspondeu às expectativas", disse Mark Chen, analista da UOB Kayhian Investment. "Os espectadores chineses se sofisticaram e esperam mais do que os filmes de franquias cheios de efeitos especiais."

Os analistas haviam previsto uma forte recuperação do mercado cinematográfico chinês neste ano e houve alguns meses fortes, como abril, que registrou aumento de 49 por cento. O maior ganho mensal desde fevereiro de 2016 foi impulsionado pela franquia de perseguições de carros hollywoodiana "Velozes e Furiosos 8", que respondeu por mais da metade das entradas vendidas no mês.

Enquanto os filmes de fora da China apresentaram desempenho inferior às expectativas, os locais foram ainda pior e perderam participação de mercado. Os filmes produzidos no exterior responderam por 61 por cento das vendas de ingressos na China no primeiro semestre, contra 47 por cento no ano anterior, segundo a empresa de pesquisa EntGroup.

Apesar dos resultados, o potencial de crescimento da China continua elevado, segundo a consultoria de filmes Fanink Research, com sede em Pequim. Cerca de 43 por cento da população do país pode ser contada como espectadores, contra 76 por cento nos EUA, segundo a Fanink.

--Com a colaboração de Prudence Ho

Versão em português: Fernando Travaglini em São Paulo, ftravaglini@bloomberg.net.

To contact Bloomberg News staff for this story: Jing Yang de Morel em Xangai, jyang543@bloomberg.net.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos