Bolsas

Câmbio

Mudanças na Microsoft vão causar milhares de demissões: Fonte

Dina Bass

(Bloomberg) -- A Microsoft reorganizou suas operações de vendas e marketing na tentativa de conquistar mais clientes em áreas como inteligência artificial e nuvem, fornecendo ao pessoal de vendas maiores conhecimentos técnicos e específicos do setor.

Essas mudanças vão causar o corte de milhares de postos de trabalho em áreas como vendas em campo, disse uma pessoa com conhecimento da reestruturação, que pediu anonimato porque as reduções da força de trabalho não foram divulgadas. A empresa tinha 121.567 funcionários até 31 de março. O memorando não mencionou a eliminação de nenhum emprego.

A empresa anunciou os passos do processo em um e-mail que foi enviado aos funcionários na segunda-feira e obtido pela Bloomberg. As vendas comerciais serão divididas em dois segmentos -- um destinado aos maiores clientes e outro aos clientes pequenos e médios. Os funcionários estarão alinhados em torno de seis setores -- fabricação, serviços financeiros, varejo, saúde, educação e governo. Eles vão se concentrar na venda de software em quatro categorias -- local de trabalho moderno, aplicativos corporativos, aplicativos e infraestrutura, dados e IA.

A Microsoft está em plena batalha com empresas como a Amazon.com e a Alphabet, disputando os clientes que desejam transferir aplicativos e dados de trabalho para a nuvem, além de aproveitar os avanços em inteligência artificial. A empresa, que não alterou drasticamente sua força de vendas em anos, quer ajustar melhor essas equipes para vender software em nuvem ao invés de soluções de desktop e servidor.

"Existe uma enorme oportunidade de mercado de US$ 4,5 trilhões em nossos negócios comerciais e de consumo", de acordo com o e-mail, que foi enviado pelo chefe de negócios comerciais mundiais Judson Althoff, pelo líder do grupo de vendas e marketing globais Jean-Philippe Courtois e por Chris Capossela, diretor de marketing da empresa.

Na área de vendas de dispositivos e aparelhos de consumo, a empresa com sede em Redmond, Washington, está criando seis regiões para vender produtos como o software Windows e hardware Surface, o software na nuvem Office 365 para consumidores e o console de jogos Xbox. O grupo também se concentrará em novas áreas, como Internet das Coisas, tecnologia de voz, realidade mista e IA.

A Microsoft vai monitorar indicadores como a adoção do Windows 10 por grandes empresas, as vendas de dispositivos Windows 10 Pro e a concorrência contra o Chromebook da Alphabet e o iPad da Apple.

A Microsoft pretende expandir seus negócios de consumo criando "desejo pelas mesmas ferramentas de criatividade" que as pessoas têm no trabalho através do Surface, de dispositivos Windows e do Office 365, de acordo com o memorando.

"Além disso, os jogos estão crescendo rapidamente em todos os tipos de dispositivos e estão evoluindo para novos cenários, como eSports, transmissão de jogos e conteúdo de realidade mista e nós também direcionaremos o crescimento nessa categoria", de acordo com o memorando.

Versão em português: Fernando Travaglini em São Paulo, ftravaglini@bloomberg.net.

Repórter da matéria original: Dina Bass em Seattle, dbass2@bloomberg.net.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos