Dívida de empresas chinesas chama a atenção do governo

Judy Chen

(Bloomberg) -- A China fechou um acordo atrás do outro para adquirir empresas no exterior nos últimos anos. Agora essa conta está prestes a vencer.

As corporações do país que mais acordos fecharam, entre elas a HNA Group e a Fosun International, devem pagar o equivalente a pelo menos US$ 11,5 bilhões em títulos e empréstimos até o fim de 2018 -- uma proeza que agora é complicada pelas iniciativas do governo para conter as agressivas campanhas no exterior.

O número representa apenas uma fração da dívida total de 1,1 trilhão de yuans (US$ 162 bilhões) informada pelas empresas chinesas à medida que elas aumentavam o dinheiro e a influência ao redor do mundo com um recorde de aquisições. O tamanho das obrigações -- e se elas serão capazes de honrá-las -- começou a preocupar os bancos e os investidores globais agora que Pequim começou a pressionar as empresas para que moderem suas ambições no exterior.

"As empresas que o órgão regulador bancário está inspecionando têm uma demanda de financiamento muito alta para atividades de fusão e aquisição", disse Xia Le, economista-chefe do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria para a Ásia em Hong Kong. "Mas os bancos aumentarão o controle de riscos ao emprestarem a elas no futuro, o que poderia elevar os custos de financiamento e afetar o ritmo de expansão."

Inspeções

As medidas ameaçam acabar com uma era de acesso fácil ao dinheiro para as empresas. Pessoas com conhecimento do assunto disseram no mês passado que a Comissão Regulatória Bancária da China (CBRC, na sigla em inglês) pediu a alguns bancos que fornecessem informações sobre empréstimos no exterior à HNA, à Fosun, à Anbang Insurance Group e à Dalian Wanda Group. Os rendimentos de alguns títulos emitidos pelas empresas deram um salto. A CBRC está examinando exemplos de aquisições malsucedidas para avaliar possíveis riscos para o setor financeiro, também disseram essas pessoas.

É verdade que as empresas, que aparecem entre as maiores companhias do setor privado chinês, têm montanhas de dinheiro que podem utilizar para honrar os próximos vencimentos de dívidas. Elas têm mais de 400 bilhões de yuans em caixa e equivalentes, segundo os últimos fatos relevantes compilados pela Bloomberg.

Custos

A nova dívida inchou os balanços das empresas. Uma forte queda do mercado local de títulos, que começou no fim do ano passado, significa que o custo de refinanciamento de parte dessas obrigações aumentou. Somando a isso a incerteza com os crescentes riscos regulatórios, alguns investidores estão ficando ansiosos.

"Estamos esperando para entender aonde essa situação vai chegar antes de investirmos", disse Sean Chang, diretor de investimento em dívida asiática da Baring Asset Management.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos