Bolsas

Câmbio

Peso de tecnologia em mercados emergentes preocupa investidores

Eric Lam

(Bloomberg) -- Os investidores estão preocupados com o crescente impulso gravitacional de gigantes de tecnologia como Samsung Electronics e Alibaba, que estariam ganhando a mesma influência excessiva sobre mercados emergentes, semelhante ao peso do FAANG sobre as ações nos Estados Unidos.

Juntas, Samsung, Alibaba, Tencent e Taiwan Semiconductor Manufacturing (SATT) respondem por 32 por cento do total de ganhos do índice MSCI de Mercados Emergentes neste ano, segundo dados compilados pela Bloomberg até esta quinta-feira. Alibaba e Tencent contribuem com pelo menos 9 por cento cada. É um peso estranhamente semelhante ao fenômeno conhecido como FAANG -- Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Alphabet, controladora do Google -- ações que respondem por 50 por cento da valorização do índice Nasdaq 100 em 2017.

"Temores em relação a um 'selloff' de grandes proporções em [ações de] tecnologia da informação de mercados emergentes realmente existem e são resultantes, principalmente, da preocupação em torno do índice Nasdaq dos EUA", disse Geoff Dennis, estrategista da UBS Securities de Boston, em um relatório de 4 de julho. "Nosso estrategista para os EUA ainda está 'overweight' em tecnologia, embora acredite que a 'tempestade de verão' no setor possa durar mais um pouco."

O FAANG parecia estar na boca de todos participantes do mercado em junho, quando o Nasdaq 100 caiu pela primeira vez em oito meses, incluindo três de suas maiores quedas diárias neste ano, sem muita coisa no fluxo de notícias para justificar qualquer baixa desse tipo. As cinco maiores ações de tecnologia eram vistas como favoritas em períodos de alta das negociações, ensaiando uma recuperação mesmo depois de 2016 ter sido um dos piores anos para esse tipo de estratégia.

O "desempenho acima da média incomum" de crescimento em relação à avaliação das ações para mercados emergentes, impulsionado pelo aumento dos lucros no setor de tecnologia, será revertido no segundo trimestre", disse Dennis. Ainda assim, as ações da Tencent e da Samsung permanecem entre as 40 favoritas do UBS para mercados emergentes, juntamente com outras sete empresas de tecnologia, disse.

O grupo asiático está ficando mais caro, especialmente em termos da relação preço/valor contábil, com um prêmio de 77 por cento em comparação com o índice mais amplo -- o nível mais alto em 15 anos, disse Dennis. É o dobro do prêmio médio de longo prazo de 38 por cento, destacou.

Luca Paolini, da Pictet Asset Management, também está preocupado que uma correção esteja a caminho depois da disparada do índice MSCI de Mercados Emergentes. O indicador superou tanto o Nasdaq 100 quanto o MSCI All-World no primeiro semestre.

"Se as ações globais realmente passarem por uma correção nas próximas semanas há motivos para se esperar que o desempenho acima da média das ações de mercados emergentes chegue ao fim", escreveu em um relatório Paolini, estrategista-chefe em Londres da Pictet.

Paolini rebaixou a perspectiva da Pictet para ações de tecnologia de "dupla" para "positiva única", com a justificativa de que o período de alta dos lucros parece ter atingido o pico em maio. Ele também sugere reduzir posições em ações de mercados emergentes, dada a grande exposição da região ao setor de tecnologia em relação aos mercados desenvolvidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos