Tesla é perdoada por queimar dinheiro em nome do futuro elétrico

Dana Hull

(Bloomberg) -- Elon Musk, da Tesla, continua recebendo luz verde para fazer o que for preciso para vender carros elétricos às massas, independente do custo.

A empresa queimou US$ 1,16 bilhão no segundo trimestre para investir em capacidade para seu modelo mais barato até o momento e ampliar a produção de baterias. Mas os investidores estão dando mais atenção para o que vem pela frente, segundo Musk: centenas de milhares de vendas de sedãs Model 3, instalações de telhas solares e a adição de um caminhão totalmente novo à linha da empresa.

"Nunca me senti tão bem em relação ao futuro da Tesla", disse Musk em teleconferência. As ações da empresa subiam cerca de 7,4 por cento, para US$ 349,94, às 9h45 de quinta-feira em Nova York, maior ganho intradiário em quatro meses.

O CEO formou uma base de seguidores fanáticos entre os acionistas da Tesla, que continuam apoiando sua visão para a energia limpa. Isso ajuda os consumidores a continuarem abrindo suas carteiras: o Model 3, vendido a partir de US$ 35.000, acumula quase meio milhão de reservas e atrai mais depósitos a cada dia.

"Enquanto puderem continuar nessa trajetória de crescimento eles não terão problemas para levantar mais capital", disse Joe Dennison, gerente de portfólio associado da Zevenbergen Capital Investments em Seattle, nos EUA, em entrevista na quarta-feira. "Agora tudo se resume ao Model 3."

O fluxo de caixa livre negativo recorde divulgado pela Tesla para o período de três meses terminado em junho foi quase duas vezes maior que os US$ 622 milhões do primeiro trimestre. Com um pouco mais de US$ 3 bilhões em dinheiro nas mãos, Musk disse a analistas que a empresa está pensando em captar recursos por meio de uma oferta de dívida.

"Ele vai precisar de capital", disse Ross Gerber, CEO da Gerber Kawasaki Wealth & Investment Management, que possui ações da Tesla. "Essa é a parte das finanças que é um pouco preocupante. Subestimar a queima de dinheiro nos próximos seis meses seria um equívoco."

A Tesla tem tido pouca dificuldade para atrair o interesse dos investidores para financiar as ambições de Musk, considerando que o otimismo quanto às perspectivas para o Model 3 contribuíram para um salto de 63 por cento no preço das ações da empresa neste ano.

"É como se houvesse um compromisso mundial de ajudar essa empresa a ser bem-sucedida -- firmado por consumidores, fornecedores e investidores -- e nós achamos que não seria inteligente apostar contra uma história com tanto impulso", escreveu Alexander Potter, analista da Piper Jaffray & Co., em nota aos clientes na quarta-feira. A Piper elevou seu preço-alvo para as ações da Tesla para US$ 386.

Musk entregou os primeiros 30 sedãs Model 3 a funcionários na sexta-feira. O objetivo da Tesla é fabricar 100 carros em agosto e mais de 1.500 em setembro, depois aumentar o ritmo até uma meta de 20.000 por mês até o fim do ano.

(Atualiza ações negociando no terceiro parágrafo.)

--Com a colaboração de Brian Eckhouse Gabrielle Coppola e David Welch

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos