Bolsas

Câmbio

Carros elétricos dão impulso a usinas poluentes de gás natural

Kelly Gilblom, Weixin Zha e Mathew Carr

(Bloomberg) -- O Reino Unido quer se livrar dos carros com combustíveis fósseis até 2040, e isso poderia aumentar a necessidade de estações de gás natural mais poluentes.

O governo tem o objetivo de substituir os carros movidos a gasolina e diesel por automóveis elétricos, mas isso poderia estimular a construção das chamadas usinas a gás de ciclo aberto, disse Carsten Poppinga, vice-presidente sênior de produção e comércio da Statkraft, empresa norueguesa que opera usinas hidrelétricas e parques eólicos no Reino Unido.

Tais unidades podem evitar que a rede entre em colapso com o grande número de pessoas que carregam os carros em períodos de maior demanda. O problema é que, embora essas usinas possam começar a gerar energia quase que instantaneamente, elas não reciclam o calor residual e, por isso, emitem mais gases de efeito estufa por megawatt do que as usinas de ciclo combinado que compõem a maior parcela da produção diária de energia do Reino Unido.

No entanto, talvez a única alternativa do Reino Unido seja usar a opção menos ecológica. Com pouca capacidade adicional de geração, o país corre o risco de enfrentar a falta de energia, particularmente nos dias frios do inverno, quando as energias eólica e solar podem ser escassas.

"Fundamentalmente, não há tanto excesso de capacidade no mercado britânico quanto na Alemanha", disse Poppinga, em entrevista por telefone, de Dusseldorf. "É possível pensar em construir usinas de energia a gás de ciclo aberto para aumentar a flexibilidade do sistema."

Os geradores a gás de ciclo aberto custam menos para construir, mas geram mais emissões por megawatt-hora produzido do que as turbinas a gás de ciclo combinado. As usinas de ciclo aberto convertem cerca de 33 por cento de seu combustível em energia, enquanto as usinas de ciclo combinado chegam a converter 60 por cento, de acordo coma Ipieca, o grupo ambientalista da indústria de combustíveis fósseis em Londres. Esse tipo de usina ainda é menos poluente que as estações movidas a petróleo, diesel ou carvão, que podem produzir o dobro das emissões de uma central a gás.

Ainda assim, a flexibilidade dessas usinas ajudará que mais fontes renováveis e intermitentes entrem no sistema, fortalecendo a transição para a energia menos poluente, de acordo com a Drax Group. A empresa de serviços públicos planeja quatro usinas de ciclo aberto no Reino Unido, que a companhia chama de "gás de resposta rápida".

De acordo com as normas ambientais do Reino Unido, as unidades podem funcionar um máximo de 2.250 horas, ou cerca de três meses por ano, disse uma porta-voz da empresa com sede em Selby, na Inglaterra. A Drax não pretende operar suas usinas por tanto tempo.

A unidade britânica da RWE "tomou medidas iniciais de planejamento" para construir uma usina a gás de ciclo aberto de 300 megawatts a leste de Londres em uma cidade chamada Tilbury, informou a maior produtora de energia da Alemanha em sua declaração financeira do primeiro semestre, nesta segunda-feira. A área anteriormente tinha usinas de energia a carvão e biomassa, embora tenha deixado de gerar energia em 2013. A RWE pretende reconstruir o lugar e também planeja uma usina de ciclo combinado de 2.500 megawatts.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos