Bolsas

Câmbio

Frango da Whole Foods já não é tão especial como antes

Deena Shanker e Polly Mosendz

(Bloomberg) -- A Whole Foods Market não vende apenas frangos. A empresa vende aos consumidores a ideia de que esses frangos foram criados e tratados melhor do que os padrões que predominam no setor: sem antibióticos, sem hormônios, sem gaiolas. Não é o tipo de frango que você poderia conseguir em qualquer lugar.

No entanto, devido a uma revolução da qualidade alimentar na última década, em grande parte incentivada pela própria Whole Foods, os padrões para grande parte das aves vendidas nos supermercados dos EUA estão mudando. A diferença diminuiu -- e, em alguns casos, desapareceu -- entre o que é vendido na Whole Foods e o que é produzido por gigantes dos alimentos industrializados, como Perdue Farms, e vendido em supermercados mais baratos.

Agora que a Amazon.com decidiu comprar a Whole Foods por US$ 13,7 bilhões, resta saber o que a gigante das compras pela internet fará com a rede de supermercados que, possivelmente, fez mais do que qualquer outra empresa para massificar o foco na proveniência de alimentos, antes exclusivo de meticulosos amantes da culinária. A disponibilidade mais ampla de produtos que atendem aos padrões da Whole Foods pode até ser vista como parte do que tornou a empresa vulnerável a uma oferta de aquisição.

A maior diferença entre os frangos da marca Whole Foods e o que está à venda em outro supermercado é, em muitos casos, simplesmente o preço na etiqueta.

Em uma visita recente, um consumidor poderia pagar US$ 2,49 por libra-peso (453 gramas) por sobrecoxas sem antibióticos com uma etiqueta da Whole Foods que anuncia "sem soluções adicionadas nem injeções". As aves da Perdue com a marca Harvestland -- sem antibióticos, refrigeradas a ar -- custam apenas US$ 1,99 por libra-peso em um supermercado Key Food qualquer, a poucos quarteirões de distância. As semelhanças não param por aí: neste caso, o frango sob o rótulo da marca 365 Everyday Value na Whole Foods foi criado por um produtor da Perdue e abatido na mesma fábrica da Perdue que seu primo da Harvestland, embora o consumidor provavelmente não saiba desse fato.

Nem todos os frangos da marca 365 provêm da Perdue e, além de um número de estabelecimento impresso na embalagem, não há como determinar a origem de um produto. No entanto, a disparidade de preços entre frangos de origem quase indistinguível pode ser notável. Uma ave inteira da marca 365 na mesma Whole Foods: US$ 4,09 por libra-peso. No Key Food, o frango inteiro Harvestland da Perdue: US$ 1,99 por libra-peso. (As peculiaridades da definição de preços dos supermercados podem levar a resultados inesperados: as coxas de frango da Whole Foods, produzidas pela Perdue, custavam US$ 0,20 menos por libra-peso do que a versão Harvestland da Perdue.)

"O que costumava ser uma característica mais exclusiva" dos varejistas de alimentos naturais "tornou-se muito mais generalizado, com certeza entre as redes maiores e os supermercados progressistas", disse David Sprinkle, diretor de pesquisa da empresa Packaged Facts, uma empresa de pesquisa de mercado. "Quando outras redes, incluindo as de maior porte, começaram a adotar práticas naturais e orgânicas, de repente a Whole Foods passou a concorrer com a Kroger, a Wegmans, a Costco."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos