Bolsas

Câmbio

Homicídios sobem em Cancun e EUA alertam cidadão sobre viagens

Nacha Cattan

(Bloomberg) -- O Departamento de Estado dos EUA emitiu um alerta a seus cidadãos em relação a viagens para determinadas regiões do México, como Cancun e Playa del Carmen, devido ao aumento do número de homicídios em destinos populares entre os turistas americanos.

O aviso emitido na terça-feira atualizou os alertas para dois estados, Quintana Roo e Baja Califrnia Sur, afirmando que disputas de territórios entre quadrilhas de criminosos provocaram um aumento da violência. O único alerta anterior sobre Quintana Roo, em uma declaração de dezembro, abordava a falta de serviços de telefonia celular e internet em algumas áreas.

A ampliação do conselho sobre viagens atinge em cheio a indústria do turismo, que gera US$ 20 bilhões por ano para o México. O estado de Quintana Roo, onde estão localizados também os resorts de Tulum e Cozumel, recebe 10 milhões de turistas por ano, um terço do total nacional. As advertências foram emitidas em um momento em que os homicídios no México estão prestes a atingir o nível mais elevado desde a virada do século, pelo menos. O estado Quintana Roo, sozinho, registrou 169 assassinatos neste ano.

"Houve incidentes com tiros, em que pessoas inocentes foram feridas ou mortas" em ambos os estados, alertaram os EUA. "A maioria desses homicídios parece ter sido de assassinatos que tinham organizações criminosas como alvos, mas as disputas por território entre grupos criminosos resultaram em crimes violentos em áreas frequentadas por cidadãos dos EUA."

Embora o alerta a respeito de Quintana Roo atualmente seja mais estrito, o resort não foi incluído entre os lugares mais perigosos do México, para os quais os funcionários do governo dos EUA recebem indicação de evitar viagens não essenciais. Essa restrição é reservada a certas regiões dos estados de Chihuahua, Coahuila e Colima, entre outras. Os EUA mantêm alertas de viagem de diferentes níveis para a maioria dos estados mexicanos.

O grupo empresarial Coparmex, que representa mais de 200 hotéis, restaurantes e outras empresas em Cancun, afirmou que o alerta provavelmente afetará as reservas deste inverno (Hemisfério Norte), quando os americanos vão às praias. Adrián López Sánchez, que dirige a Coparmex em Cancun, diz que a segurança está começando a melhorar após mostrar uma piora no início deste ano e no ano passado.

A Secretaria de Turismo de Quintana Roo respondeu rapidamente ao aviso, emitindo uma declaração na que afirma que os turistas estão "a salvo e protegidos" no estado e que o governo continuará colaborando com as autoridades federais e dos EUA em relação à segurança.

A taxa de ocupação de hotéis em Cancun, em Playa del Carmen e nos resorts circundantes aumentou para 78,6 por cento no ano até julho, contra 75,1 por cento no mesmo período do ano passado, segundo a STR, uma provedora de dados e análises sobre o setor hoteleiro.

Em janeiro, a Asur, operadora do aeroporto que atende Cancun, viu suas ações despencarem depois que cinco pessoas foram mortas a tiros na casa noturna Blue Parrot durante um festival de música eletrônica na vizinha Playa del Carmen. As ações do aeroporto subiram ligeiramente, para 361,20 pesos cada, no fechamento do mercado, na terça-feira. Mais recentemente, no início de julho, uma pessoa morreu após um tiroteio em uma discoteca em frente à Blue Parrot.

"O turismo é muito sensível", disse López Sánchez, da Coparmex. "As advertências direcionadas ao mercado dos EUA são significativas."

--Com a colaboração de Rafael Gayol Daniel Taub e Hui-yong Yu

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos