Bolsas

Câmbio

Cachorro-quente está conquistando o Reino Unido aos poucos

Richard Vines

(Bloomberg) -- Primeiro foi o hambúrguer. Agora é a vez do cachorro-quente.

Esse lanche maravilhosamente simples ? uma salsicha e um pão ? está finalmente saindo da sombra de seu primo culinário mais popular no Reino Unido, onde os hambúrgueres imperam e os cachorros-quentes são um prazer ocasional para desfrutar em um jogo de futebol, mas pelo qual raramente se anseia.

Era questão de tempo, em país famoso pelas salsichas de porco, mas que nunca adotou o cachorro-quente da mesma forma que os EUA, embora esse lanche provavelmente tenha sido criado pelos europeus. O termo "wiener" originou-se em Viena, ao passo que "frankfurter" vem de Frankfurt. Depois, os imigrantes levaram essa preparação para o outro lado do Atlântico, de acordo com o Conselho Nacional do Cachorro-Quente e da Salsicha dos EUA, em Washington.

Assim como os hambúrgueres estão se transformando em uma iguaria de luxo, alguns dos melhores chefs do Reino Unido competirão na próxima semana pelo título de melhor cachorro-quente britânico, um prêmio organizado pelo restaurante Bubbledogs, que serve apenas champanhe e cachorros-quentes (eu serei um dos juízes). Mas a adoção recente não é uma tendência culinária imposta de cima para baixo. A demanda está crescendo significativamente em todo o país, de acordo com a Kerry Foods, cuja unidade Rollover é a maior vendedora de cachorros-quentes do Reino Unido.

"Nossa unidade de cachorro-quente teve crescimento de dois dígitos neste ano, e prevemos que isso se repetirá no ano que vem", disse Bruce Alexander, diretor comercial da Kerry. "Essa tendência é muito significativa." Ele não quis dar detalhes específicos, mas a Rollover vende mais de 20 milhões de cachorros-quentes por ano em mais de 2.000 pontos de venda em estádios, casas de shows e lanchonetes, de acordo com o jornal Telegraph.

Esse crescimento de dois dígitos contrasta com um aumento anual de 1,4 por cento no consumo britânico de salsichas e um aumento de 1 por cento nos enrolados de salsicha, de acordo com o Conselho de Desenvolvimento de Agricultura e Horticultura.

O fato de que as salsichas enfrentem dificuldades no Reino Unido surpreende Mark Rosati, diretor culinário da Shake Shack, que começou com um carrinho de cachorro-quente no Madison Square Park de Nova York em 2004. Hoje em dia, os hambúrgueres da Shack são campeões de venda, mas sua ascendência é mais extrema no Reino Unido, onde a demanda pelo cachorro-quente Shack-cago, no estilo de Chicago, é limitada.

"Como nova-iorquino, vejo o cachorro-quente como uma parte importante de nossa cultura, de nossa base culinária", diz ele. "Em cada esquina tem alguém vendendo. Eu simplesmente não vejo carrinhos de cachorro-quente em Londres, e a demanda pelo nosso depende muito da época do ano. Mas o Bubbledogs está sendo realmente criativo com os cachorros-quentes e até mesmo (o chef britânico) Jamie Oliver preparou um. Eu não ficaria surpreso se a popularidade dos cachorros-quentes aumentar."

Para entrar em contato com o repórter: Richard Vines em Londres, rvines@bloomberg.net.

Para entrar em contato com a editoria responsável: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net.

©2017 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos