Bolsas

Câmbio

Microsoft apoia startups europeias para negócio futuro na nuvem

Aaron Ricadela

(Bloomberg) -- A Microsoft está aumentando a aposta na tentativa de apoiar as próximas grandes startups de software da Europa para conquistar negócios futuros para sua plataforma na nuvem.

A empresa dos EUA divulgará na segunda-feira um novo programa de quatro meses com sede em Berlim e foco no apoio a empresas que captaram financiamento em fase inicial e estão criando software para algumas das áreas de mais rápido crescimento da computação, como fábricas e veículos conectados, IA, bancos de dados de blockchain e visão computacional.

Os participantes do novo acelerador da Microsoft receberão US$ 500.000 em créditos de computação em nuvem da Azure, além de acesso a investidores externos, equipes de vendas e especialistas técnicos da Microsoft.

O posto avançado de Berlim do acelerador "Microsoft for Startups" incluirá ajuda para desenvolvimento de produtos, capacitação em gerenciamento e acesso às equipes de desenvolvedores e de vendedores da gigantes do software com sede em Redmond, Washington.

A Microsoft enfrenta uma concorrência crescente para conquistar empresas inovadoras em um momento em que rivais como Google, da Alphabet, Amazon.com, Salesforce.com e Oracle também estão munindo startups promissoras de ferramentas para desenvolvedores, software de banco de dados e plataformas de computação na nuvem.

"As startups representam a carga de trabalho de amanhã", disse Charlotte Yarkoni, vice-presidente corporativa do grupo de ecossistemas e desenvolvimento em nuvem da Microsoft. "Nem todas as startups conseguem uma passagem de avião para Redmond", diz ela, mas a empresa quer estar "presente em suas comunidades técnicas".

A Tellmeplus, cujo software de manutenção preditiva pode ser instalado em robôs de fábrica, carros ou parques eólicos, é uma das 10 startups europeias escolhidas para o novo acelerador da Microsoft em Berlim.

"As coisas estão mudando", disse o cofundador da Tellmeplus, Jean-Michel Cambot, que ajudou a fundar o software Business Objects, vendido para a SAP por US$ 6,8 bilhões. "A Microsoft tem uma boa reputação, mas não era assim há algum tempo; não era tão fácil ter acesso a eles. Antigamente, tudo era decidido nos EUA."

O programa de aceleração da Microsoft em Berlim antigamente se concentrava em ajudar uma mistura de aplicativos inexperientes voltados para empresas e consumidores, como portais de viagens e vendedores de aulas de piano pela internet.

O programa não faz parte da Microsoft Ventures, que adquiriu participações de capital em startups.

Sob o comando do CEO Satya Nadella, a Microsoft se posicionou de modo mais amigável para desenvolvedores de software externos, disponibilizando seu banco de dados e suas ferramentas de desenvolvimento no sistema operacional Linux, de código aberto, e expandindo o alcance para desenvolvedores de código aberto.

"O verdadeiro apelo é a tecnologia da Microsoft e os desenvolvedores em Redmond", disse Ralf Treitz, CEO da Trufa, uma das participantes do acelerador de Berlim, cujo software extrai dados da SAP para determinar onde as empresas estão gastando demais para liberar o fluxo de caixa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos