Bolsas

Câmbio

Climas de verão e inverno se chocam em setembro europeu estranho

Kelly Gilblom

(Bloomberg) -- Algumas áreas da Europa registraram tanto calor neste verão que até mesmo o sombrio Reino Unido se viu afetado. E este mês deverá ter mais dias estranhos. A Europa Ocidental terá temperaturas voláteis, que às vezes poderão subir acima do normal e em outros momentos se assemelhar ao inverno. A região sul e o Leste Europeu provavelmente continuarão recebendo uma onda contínua de calor, sendo que algumas partes da Ucrânia projetam a extensão do verão mais quente da história, segundo seis meteorologistas consultados pela Bloomberg.

Após um mês de ondas de calor da Espanha à Romênia, os dias agradáveis adicionais podem prolongar a seca no sul da Europa, que já forçou Roma a racionar água e derrubou as ações do setor hidrelétrico. Mas França e Espanha podem receber algum alívio em setembro porque os dias mais frescos permitirão que os países reduzam a demanda por energia e guardem combustível para o inverno, o que diminuiria o temor de que enfrentem déficit.

"No mês de setembro, a Europa Ocidental de forma geral estará perto da normalidade para essa época do ano, mas as temperaturas máximas ficarão abaixo do normal durante alguns períodos breves", disse Tyler Roys, meteorologista da AccuWeather em State College, Pensilvânia. "O que vai contrariar esses dias abaixo do normal serão os breves dias nos quais as temperaturas vão disparar."

O que afeta o padrão climático neste mês é o cavado de baixa pressão que pode se dividir em dois, segundo Matthew Dobson, meteorologista sênior da MeteoGroup U.K. Uma metade provavelmente viajará para além da Noruega, o que significa que a Escandinávia pode ficar mais quente que o normal neste mês, enquanto a outra atingirá a região sudeste da Europa.

O continente também poderá ver as consequências da agitada temporada de furacões do Atlântico deste verão boreal, que já devastou Texas e Louisiana e que poderá atingir os EUA novamente em setembro. À medida que as tempestades decaírem e avançarem para o leste, poderão trazer condições úmidas e ventosas para o noroeste da Europa no fim do mês.

Isso não será de muita ajuda para a Itália. O país faz parte da região da Europa que, segundo projeção, se manterá quente e seca. As temperaturas mais quentes deste mês provavelmente serão registradas no sul da Polônia, na Ucrânia e nos estados do norte dos Bálcãs, segundo os meteorologistas.

Energia alternativa

A Espanha, contudo, terá algum alívio. O volume de água reservado para uso na geração de energia hidrelétrica está em seu menor nível em pelo menos 12 anos, o que aumenta a demanda por fontes alternativas de combustível para a geração de energia. A temperatura na Península Ibérica provavelmente ficará na média, mas existe o risco de um clima mais frio do que o normal, segundo Rebecca Fuller, meteorologista da MDA Information Systems, com sede em Gaithersburg, Virgínia.

"O clima não deverá afetar muito os mercados de gás" porque setembro cai entre os picos de demanda do verão e do inverno no Hemisfério Norte, disse Elchin Mammadov, analista de serviços de energia da Bloomberg Intelligence em Londres. "A situação hídrica apertada em grandes regiões da Europa provavelmente provocará um impacto maior sobre a demanda por gás."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos