Bolsas

Câmbio

Alibaba deve mudar mentalidade para expansão global, diz Jack Ma

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Depois de conquistar as entregas de compras de supermercado, a Alibaba Group está voltando os olhos para uma nova parte do setor de varejo da China, avaliado em US$ 4 trilhões: as lojas de departamento.

A gigante do comércio eletrônico, que também está se aventurando nos ramos de computação em nuvem e entretenimento, mira cada vez mais as empresas físicas tradicionais, disseram o presidente do conselho da Alibaba, Jack Ma, o vice-presidente do conselho, Joseph Tsai, e o CEO, Daniel Zhang, em entrevistas à Bloomberg News no 18º aniversário da empresa. A Alibaba, criada no apartamento de Ma em 1999, atualmente vale US$ 458 bilhões.

Em entrevista concedida menos de um mês depois de a Amazon.com fechar a aquisição da Whole Foods Market por US$ 13,7 bilhões, os executivos discutiram a estratégia da Alibaba para lidar com a concorrência, sua visão sobre os dados e os desafios que a empresa enfrentará. Ma disse que a Alibaba precisará adotar uma mentalidade diferente dado seu tamanho atual e abandonar a postura de manter poucos ativos para conseguir uma participação maior do comércio global.

"Acho que quando você é jovem e minúsculo, o modelo leve é bom. Quando você é forte, grande -- pense nisso --, você precisa de coisas pesadas. Não existe essa coisa de pesado é bom ou leve é bom -- o bom é ter uma mistura. Para ser eficiente é preciso combinar modelos leves e pesados. Mas com o tamanho atual da Alibaba, não devemos deixar o modelo pesado para os outros, isso é algo que temos que fazer porque, com a infraestrutura que estamos construindo, temos que investir", disse Ma.

"É como quando você está subindo uma montanha. Quando você está a apenas 1.000 metros de altitude, você desfruta. Está tudo bem. Quando está 100 metros abaixo, você acha que tudo está bem, mas quando chega aos 4.000 metros, tem falta de ar. Não tem muita gente trabalhando a seu lado e você nem sabe com quem compartilhar suas reflexões e preocupações. E agora estamos provavelmente a 5.000 ou 6.000 metros de altitude, então estamos solitários", disse ele.

Observando a Tencent

A Alibaba também observa uma concorrência cada vez maior com a Tencent Holdings nos ramos de pagamentos, computação em nuvem e serviços financeiros. O presidente do conselho da Tencent, Pony Ma (que não é parente), e Jack Ma aspiram a expandir suas empresas fora da China. A Alibaba também briga com a Amazon em sua busca por crescimento no Sudeste Asiático, e a projeção é que, só na Indonésia, o comércio eletrônico chegará a US$ 65 bilhões em 2020, contra US$ 8 bilhões atualmente, segundo relatório da Macquarie Research.

"Acho que nem mesmo Pony tem a mesma experiência em globalização que nós temos. Ou seja, isso é algo novo para todos. No caso da Amazon, acho que o comércio eletrônico começou há 20 ou 25 anos, então ninguém é especialista, principalmente quando faz negócios em outros países. Nós somos novos. A concorrência com a qual deveríamos nos preocupar estará nas áreas locais", disse Ma.

"Eu tenho repetido isso internamente. O fato de a Alibaba ir para fora da China não diz respeito à globalização da Alibaba. Estamos globalizando a infraestrutura de comércio eletrônico. Estamos tentando construir uma infraestrutura de pagamentos on-line. Estamos tentando construir uma infraestrutura logística e estamos tentando construir uma infraestrutura de computação em nuvem", disse Ma.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos