Bolsas

Câmbio

Mercado de lingeries plus-size registra rápida expansão nos EUA

Stephanie Wong

(Bloomberg) -- Pergunte a qualquer mulher. Comprar sutiã é doloroso, às vezes literalmente. E se você é uma mulher de curvas, boa sorte.

Mas há uma nova esperança no horizonte plus-size, com marcas como Calvin Klein e empresas de varejo especializadas como a Brayola que estão lançando mais sutiãs tamanho 40DD ou maior. O fenômeno faz parte do novo impulso por roupas atraentes para mulheres curvilíneas nos EUA, onde o tamanho médio é de 16 a 18, segundo a empresa de projeção de tendências WGSN. (Para se ter uma referência, Melania Trump usa tamanho 6 e Oprah Winfrey, 12, ou pelo menos é o que dizem alguns detetives da internet que analisam pessoas famosas).

A única surpresa é que tenha demorado tanto tempo. As roupas femininas plus-size são um setor de US$ 21 bilhões que cresce a um ritmo que a empresa de pesquisa NPD Group definiu em 6 por cento no ano passado -- aproximadamente o triplo da média para as roupas de todos os tamanhos. E um dos segmentos de mais rápida expansão é o de lingeries, segundo Madeline Hurley, analista da IBISWorld. "Esta área é tradicionalmente mal atendida."

É só ver as estatísticas: cerca de um terço dos adultos americanos é classificado com sobrepeso, e eles estão ficando mais pesados cada vez mais jovens. Ainda assim, muitas empresas têm sido lentas para se atualizar, mesmo depois que Ashley Graham e outras modelos mais cheinhas começaram a ganhar as capas das revistas de moda e que atrizes como Melissa McCarthy e Rebel Wilson lançaram suas próprias linhas.

Chastity Garner Valentine, uma blogueira de moda de tamanho 22, ainda tem dificuldades para encontrar roupas íntimas atraentes.

"Isso faz você sentir como se não existisse e não tivesse lugar", disse Valentine, de 36 anos, que lançou uma campanha bem-sucedida nas redes sociais em 2014 para obrigar a Target a adicionar tamanhos maiores em suas coleções de design. Os sutiãs são um assunto particular. "Estamos falando de algo que usamos diariamente."

Renda sensual

Até recentemente, os sutiãs para mulheres grandes eram muito parecidos com algo que nossas bisavós usariam. E mesmo atualmente eles podem ser mais caros do que aqueles feitos para um corpo mais magro, e às vezes nem sequer estão disponíveis para provar nas lojas. Mas a variedade de produtos está disparando -- mais peças rosa pink e turquesa, mais opções com rendas sensuais, mais modelos sem alças.

"As clientes queriam isso e a gente simplesmente não oferecia", disse Cheryl Abel-Hodges, presidente da divisão de roupas íntimas da PVH, empresa dona da Calvin Klein. Agora os sutiãs plus-size são "uma das maiores oportunidades de venda", disse a porta-voz Dana Perlman, acrescentando que a roupa íntima é uma categoria de vestuário de margem elevada, superior a 15 por cento.

Segundo pesquisa da Hanesbrands, 35 por cento das americanas são plus-size aos 25 anos e 44 por cento, aos 33 anos. É por isso que a empresa está lançando uma série de novos produtos chamada Maidenform Curvy para as jovens americanas. Além disso, os novos sutiãs Playtex Love My Curves vêm com bojos de tamanhos acima de G. "Essa é uma verdadeira lacuna no mercado", disse Maria Teza, vice-presidente para sutiãs.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos