Topo

Voar é mais caro do que você imagina, segundo governo dos EUA

Michael Sasso

21/09/2017 13h49Atualizada em 21/09/2017 14h49

(Bloomberg) -- A cobrança de tarifas por bagagens pelas empresas aéreas realmente aumentou o custo das viagens aéreas, segundo um novo relatório do governo dos EUA.

As empresas aéreas dos EUA costumam afirmar que, com a cobrança por bagagem, os passageiros pagam apenas o que usam. Se não há mala, não há taxa. Embora as passagens tenham caído depois que as empresas aéreas começaram a cobrar separadamente pelas malas, no geral as novas taxas compensaram qualquer economia, segundo estudo do Escritório de Responsabilidade do Governo dos EUA (GAO, na sigla em inglês), divulgado na quarta-feira.

As novas tarifas também dificultam o cálculo dos custos finais da viagem pelo passageiro, segundo o GAO. O preço de opções como assentos preferenciais pode estar claro nos sites das próprias empresas aéreas, mas talvez seja menos transparente quando se reserva por meio de agências de viagens ou de outros sites de viagens on-line.

As interpretações do estudo foram... variadas. O senador norte-americano Edward Markey, um democrata de Massachusetts que solicitou o relatório do GAO, citou-o como prova de que "as empresas aéreas estão espremendo custos dos passageiros cativos", segundo comunicado. A associação de empresas do setor Airlines for America, por outro lado, afirmou que o relatório ressalta que os passageiros agora têm muito mais alternativas e que "a concorrência intensa em todo o setor está gerando mudanças positivas para os consumidores".

Mais Economia