Bolsas

Câmbio

Bank of America negocia sede em Paris para lidar com o Brexit

Laura J. Keller, Jack Sidders e Fabio Benedetti-Valentini

(Bloomberg) -- O Bank of America negocia o aluguel de espaço comercial em Paris, para onde pretende transferir parte das atividades de negociação de instrumentos financeiros devido à saída do Reino Unido da União Europeia. A informação foi passada por pessoas com conhecimento do assunto.

O banco discute a locação de aproximadamente 9.300 metros quadrados no número 51 da Rue de la Boetie, no 8º "arrondissement" (distrito), próximo ao Arco do Triunfo, segundo as fontes, que pediram anonimato porque o tema é particular. O plano inicial do Bank of America é instalar 300 funcionários no espaço capaz de acomodar aproximadamente 1.000 pessoas, acrescentaram. A instituição se recusou a comentar.

A mudança para Paris foi decidida após meses de debates entre os principais executivos da área de banco de investimento sobre onde basear os traders após o Brexit. A responsável pela área de renda fixa, Sanaz Zaimi, e seu colega Bernard Mensah preferiam Paris, enquanto o responsável por renda variável, Fabrizio Gallo, queria Frankfurt, conforme apurado pela Bloomberg News no mês passado.

De acordo com relatos na ocasião, alguns gestores sugeriram separar as operações de negociação por classe de ativos, cada uma em uma cidade. As fontes dizem que a instituição ainda precisa decidir onde ficará a base do banco de investimento. O presidente Brian Moynihan declarou em julho que a "localização preferida" para as principais entidades jurídicas na UE é Dublin, onde a instituição já tem licença para atuar como banco estrangeiro.

Bancos de investimento globais estão decidindo onde basear atividades quando o Reino Unido deixar o bloco, o que deve ocorrer em 2019. É provável que o Brexit acabe com o direito de passaporte, que permite aos bancos prestar serviços ao resto da UE a partir de Londres.

O edifício escolhido pelo BofA está sendo reformado pela incorporadora Poste Immo, segundo os entrevistados. O prédio fica próximo de onde o HSBC Holdings planeja instalar sua base de banco de investimento na Europa Continental. A instituição, que tem sede em Londres e uma divisão de banco de varejo na França, revelou que pretende transferir aproximadamente 1.000 pessoas para Paris. Autoridades locais vêm tentando atrair bancos com propostas de diminuir os impostos sobre a folha de pagamento dos que ganham mais.

O presidente Emmanuel Macron aprovou alterações na legislação trabalhista na semana passada, flexibilizando regras de contratação e demissão e concluindo sua primeira reforma econômica após quatro meses no cargo.

Um porta-voz da Poste Immo se limitou a informar que a empresa realiza o marketing do espaço.

Morgan Stanley, Citigroup, Standard Chartered e Nomura Holdings escolheram basear suas operações na UE em Frankfurt. Goldman Sachs Group e UBS Group estudam fazer o mesmo.

Ao todo, Londres pode perder 10.000 postos de trabalho em bancos e 20.000 na área de serviços financeiros por causa do Brexit, de acordo com estimativa do instituto de pesquisas Bruegel, sediado em Bruxelas.

--Com a colaboração de Gavin Finch

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos