Statoil mergulha na energia solar com joint venture no Brasil

Mikael Holter

(Bloomberg) -- A Statoil, petroleira estatal da Noruega, está expandindo seus investimentos em energia renovável dando seu primeiro passo no campo de energia solar por meio de uma joint venture no Brasil.

A Statoil comprará uma participação de 40 por cento no projeto Apodi da Scatec Solar por US$ 25 milhões, adquirindo metade dos interesses da empresa norueguesa de energia solar, informou a produtora de petróleo e gás com sede em Stavanger, em comunicado. O negócio também dará à Statoil uma participação de 50 por cento na empresa que executará o projeto, criando uma joint venture com a Scatec que pode chegar a investir em mais projetos de energia solar no Brasil no futuro.

"O Brasil é uma área central para a Statoil, onde nossa ambição é promover um crescimento seguro e sustentável num mercado de energia que é significativo", disse Irene Rummelhoff, vice-presidente executiva da área de Novas Soluções Energéticas da Statoil, no comunicado. "O projeto Apodi é um primeiro passo para entrarmos no mercado solar e avaliarmos como este segmento pode apresentar oportunidades de crescimento lucrativas e com possibilidade de expansão."

As grandes empresas de petróleo e gás estão ampliando os investimentos em energias renováveis para capturar uma fatia da crescente demanda por fontes de energia de baixa emissão. Depois de ampliar seus investimentos em energia eólica offshore desde 2014 sob o comando do CEO Eldar Saetre, a Statoil agora está acompanhando a entrada da rival francesa Total no ramo de energia solar. A empresa, na qual o Estado norueguês tem participação de 67 por cento, informou no início do ano que os investimentos em energia renovável e em outros empreendimentos de baixa emissão de carbono poderiam compensar até 20 por cento dos investimentos até 2030, contra 5 por cento atualmente.

Expansão no Brasil

O acordo com a Scatec também expande o portfólio da Statoil no Brasil, onde já opera um campo de petróleo offshore. A Statoil deverá aumentar a produção de petróleo no país na próxima década, o que poderia transformar o Brasil em sua maior fonte de petróleo depois da Noruega.

A construção do projeto Apodi, de 162 megawatts, no estado do Ceará, começará neste mês e a usina fornecerá eletricidade para cerca de 160.000 famílias a partir do fim do ano que vem, informou a Statoil. Os investimentos totais são estimados em US$ 215 milhões, sendo 65 por cento provenientes de empréstimos financeiros e 35 por cento de recursos próprios dos acionistas. A participação da Statoil será de cerca de US$ 30 milhões, informou.

A energia solar cresceu cerca de 50 por cento por ano na última década e se expandirá ainda mais, afirmou a Statoil. O Brasil concedeu 3 gigawatts em projetos solares nos últimos anos e planeja outros 7 gigawatts até 2024, segundo a Statoil e a Scatec, em comunicados separados.

"O potencial do setor de energia solar no Brasil é grande", disse Raymond Carlsen, CEO da Scatec. "Estamos trazendo para esta parceria um forte histórico como produtor independente de energia solar e a Statoil tem grande envolvimento e experiência no Brasil por meio de suas outras atividades de energia."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos