PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Toyota mira autonomia de 1.000 km com carro movido a hidrogênio

Kevin Buckland

18/10/2017 12h00

(Bloomberg) -- A Toyota Motor está perto de apresentar um carro conceito a célula de combustível que visa a oferecer 50 por cento mais autonomia de direção que o atual sedã da empresa movido a hidrogênio em um impulso tecnológico que desafia a onda crescente de veículos movidos a bateria.

A maior fabricante de automóveis do Japão mira uma autonomia de 1.000 quilômetros para o sedã conceito Fine-Comfort Ride de acordo com os padrões locais, contra cerca de 650 quilômetros do veículo movido a célula de combustível Mirai, segundo comunicado desta quarta-feira. O carro conceito, que será apresentado no Salão do Automóvel de Tóquio na semana que vem, incluirá inteligência artificial e recursos de direção automatizada.

A Toyota continua considerando que os veículos a células de combustível são os carros definitivos de emissão zero, embora a queda do custo das baterias de íon de lítio tenha atraído a maioria das fabricantes de veículos para a tecnologia plug-in em razão da adoção de padrões ambientais cada vez mais rígidos em todo o mundo. A China, maior mercado do mundo, anunciou no mês passado que está trabalhando em um cronograma para acabar com a venda de veículos de combustão interna, unindo-se assim a países como a França, a Índia e o Reino Unido.

O Japão criou o chamado Mapa da Sociedade do Hidrogênio, um plano para aumentar o número de veículos a células de combustível em suas vias para 40.000 até 2020, mas atualmente há apenas em torno de 2.200. A Bloomberg New Energy Finance estima que o governo cumprirá apenas 60 por cento de sua meta.

Honda, Lexus

Além do Mirai, lançado pela Toyota no fim de 2014, apenas a Honda Motor tem um carro movido a hidrogênio à venda no país, o Clarity Fuel Cell. A Lexus, braço de luxo da Toyota, também se comprometeu a levar um modelo movido a hidrogênio ao mercado após apresentar um sedã conceito em 2015. A Toyota anunciou que pretende multiplicar por 10 as vendas anuais internacionais de veículos a célula de combustível até 2020 ou perto disso, para 30.000 unidades, por meio de uma linha mais ampla.

O sedã Fine Comfort-Ride é capaz de acomodar até seis pessoas e os assentos podem ser rearranjados para que todos fiquem virados para dentro. Uma porta-voz da Toyota preferiu não fornecer detalhes adicionais sobre o conjunto de motor e transmissão e a tecnologia de direção autônoma.

Embora possam ser reabastecidos em cerca de três minutos e tenham uma autonomia substancialmente maior do que a dos carros elétricos, os veículos a hidrogênio sofrem com a falta de infraestrutura. Existem apenas 91 estações de recarga de hidrogênio em todo o país, contra uma meta de 160 do governo até 2020, segundo a BNEF. Por outro lado, o Japão tem cerca de 7.200 recarregadores públicos rápidos, segundo estimativa da Nissan Motor.

O Nissan Leaf, por exemplo, precisa de cerca de 30 minutos para uma única recarga, que oferece autonomia de cerca de 400 quilômetros.

Para incentivar a instalação de mais estações de reabastecimento, a Toyota está desenvolvendo veículos comerciais movidos a hidrogênio, por exemplo um caminhão para entregas que será usado em um projeto com as lojas de conveniência 7-Eleven Japan. Além disso, dois ônibus Toyota movidos a célula de combustível começaram a transitar em Tóquio neste ano.