PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

JPMorgan aposta em IA para aumentar vendas

Hannah Levitt

23/10/2017 12h13

(Bloomberg) -- No maior negociador de dívidas do mundo, os traders às vezes têm problemas para entender toda a ação do mercado. Por isso, o JPMorgan Chase está recorrendo à inteligência artificial para proporcionar a eles uma imagem completa do pregão -- e até mesmo prever para onde o mercado se moverá.

O MSX, um programa de análise de dados e de aprendizagem de máquina, está sendo implementado nas operações de vendas e trading de renda fixa do banco, informou o JPMorgan, que tem sede em Nova York, nesta segunda-feira em um comunicado. O programa vai compilar dados de todas as mesas e pedidos para oferecer aos vendedores e traders um panorama mais claro em tempo real e ajudá-los a prever os movimentos do mercado. Desenvolvido pela Mosaic Smart Data, uma startup com sede em Londres, o programa já é usado nas operações de taxas do JPMorgan.

O JPMorgan, que gerou US$ 15 bilhões em receita com sua unidade de renda fixa no ano passado, é um dos bancos que estão adotando a aprendizagem de máquina e a inteligência artificial nas unidades de mercados de capital. A medida mais recente busca melhorar o desempenho dos vendedores, não substituí-los, disse o CEO da Mosaic, Matthew Hodgson.

"A automação de tarefas não é o mesmo que a automação de empregos", disse Hodgson, em entrevista por telefone. Esta será mais uma ferramenta que um vendedor de renda fixa poderá usar para tornar seu trabalho mais eficiente e oferecer um atendimento melhor, disse ele. Hodgson é ex-diretor administrativo do Deutsche Bank e trabalhou na Salomon Brothers, de acordo com seu perfil no LinkedIn.

A Mosaic já tinha feito uma parceria com o JPMorgan através do "In-Residence", um programa de desenvolvimento de startups de tecnologia financeira criado em 2016. A Mosaic é a primeira empresa a completar o programa, que oferece às startups seis meses de acesso aos funcionários, instalações e sistemas do JPMorgan.

"A plataforma Mosaic se integra de forma segura à nossa infraestrutura tecnológica existente e permite que nossas equipes tomem decisões rapidamente com mais informações", disse o diretor de trading macro global do JPMorgan, Troy Rohrbaugh, em um comunicado.

O software pode identificar padrões em dados que já são gerados pelo JPMorgan. O objetivo é prever o comportamento dos clientes e oferecer-lhes ideias que possam interessá-los.

"É a capacidade de medir o negócio no nível empírico, não no casual", disse Hodgson. "Por exemplo, se eu estou realmente interessado em saber que os gerentes de ativos estão concentrados em um ativo em particular, eu gostaria de saber que vencimento eles estão contratando."

PUBLICIDADE