PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Nunca durma em voos longos e outras dicas de viagem

Mark Ellwood

25/10/2017 15h41

(Bloomberg) -- O veterano da guerra do Iraque Akshay Nanavati se juntou aos fuzileiros navais dos EUA depois de superar o vício em drogas na escola secundária; seu papel no Iraque era andar na frente de comboios para encontrar dispositivos explosivos improvisados (IEDs). Em sua baixa, Nanavati foi diagnosticado com transtorno de estresse pós-traumático e pensou em se matar antes de encontrar uma resposta nos esportes extremos. Desde então, ele correu ultramaratonas, esquiou pela segunda maior calota de gelo do mundo e escalou o Himalaia.

Juntas, essas experiências formam a base de sua carreira atual como treinador e palestrante motivacional, bem como a espinha dorsal de seu novo livro, "Fearvana: The Revolutionary Science of How to Turn Fear into Health, Wealth and Happiness".

Nanavati passa grande parte do ano viajando, seja entre seus dois lares ? os EUA e a Índia ? ou em expedições extremas na Groenlândia, no Alasca ou na Bolívia. Suas companhias aéreas favoritas são a Southwest e a Lufthansa. Da companhia alemã, ele diz: "O atendimento é excelente e ela voa localmente para Newark, e é prática para lugares como a Índia, onde tenho família". Ele mora em Basking Ridge, New Jersey, com a esposa.

Não durma no avião

Quando você viaja com os fuzileiros navais, não existe o luxo de ter tempo livre para relaxar e se recuperar do voo, independentemente de você estar indo para o campo de treinamento do Corpo de Fuzileiros Navais em San Diego ou para se preparar para a guerra no Kuwait. Você precisa chegar pronto para entrar em ação. Então, eu aprendi disso: se eu estiver indo para um destino durante à noite, para combater o jet lag e garantir que eu entrarei de novo no ritmo, eu me obrigo a ficar acordado em um longo voo. Eu uso suplementos pré-treino que contêm cafeína, como Gnarly Maximus.

Saia da zona de conforto assim que puder

Eu gosto de dizer que você deve procurar um esforço que valha a pena em cada viagem. Eu acho que viajar para um lugar novo e conhecer pessoas novas não vale a pena se você fizer todo o possível para não sair de sua zona de conforto, como nunca abandonar os confins de um resort de luxo ou comer as mesmas refeições que você comeria em casa, por exemplo. Às vezes, pode ser simplesmente se hospedar em um Airbnb mais simples em vez de ficar em um hotel de luxo.

Prepare-se para a monotonia

Na primeira vez em que fiz uma expedição polar, eu não estava preparado para a monotonia: você vai esquiar no meio do nada, em um vazio branco, todos os dias durante 8, 12 horas. Você tem que lidar muito com sua mente, que vai para todos os lugares, porque fica vagando. Então agora, para treinar antes de fazer uma viagem de aventura, eu pratico a quietude. Um amigo meu que é ciclista de resistência me disse para sentar e olhar para a parede, sem música, sem televisão, sem um quadro sequer. Nenhum estímulo que possa lhe envolver. Ele fazia isso durante 24 horas e depois ia pedalar durante 24 horas. É muito difícil fazer isso; surpreendentemente, essa experiência desperta muitas coisas, todos os demônios e tudo o mais. Mas você cresce um pouco com isso.