Bolsas

Câmbio

Importação de soja deve subir na China com demanda em feriados

Bloomberg News

(Bloomberg) -- As importações de soja da China, maior compradora do mundo, deverão aumentar no quarto trimestre e os fornecedores brasileiros devem competir com os EUA para capturar uma participação maior do pico da demanda da temporada de feriados.

As vendas dos EUA ao país asiático aumentarão após um início lento causado por atrasos em carregamentos e os produtores do Brasil, o maior fornecedor do mundo, provavelmente ampliarão as vendas de suas reservas antigas, segundo analistas chineses entrevistados pela Bloomberg. O Brasil e os EUA são os dois maiores fornecedores de soja para a China.

"As compras aumentarão porque o pico da demanda por feriados está chegando", disse Wang Zhenjun, analista da China Merchants Futures. As margens de esmagamento das processadoras de soja provavelmente continuarão saudáveis e deverão ampliar as importações chinesas de soja para mais de 9 milhões de toneladas por mês em novembro e dezembro, disse Wang. O número contrasta com a média de 8,4 milhões de toneladas por mês em 2016, mostram dados aduaneiros oficiais. O feriado do Ano Novo chinês cairá em meados de fevereiro do ano que vem.

As importações totais no quarto trimestre são estimadas em 25 milhões de toneladas, cerca de 3 milhões de toneladas a mais que há um ano, segundo Monica Tu, analista da Shanghai JC Intelligence.

As importações do Brasil poderão subir 4 milhões de toneladas no trimestre, disse Zheng Zuting, analista do Centro Nacional de Informação sobre Grãos e Óleos da China. As exportações brasileiras para a China mais do que quadruplicaram em setembro, para 3,49 milhões de toneladas, em relação ao ano anterior, segundo números do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços do Brasil.

Compras lentas

Os compradores chineses têm sido lentos para fazer aquisições com meses de antecedência nesse ano apesar das boas margens de esmagamento, disse Yang Linqin, associado sênior da COFCO Futures. No ano passado, as processadoras reservavam carregamentos com quatro a cinco meses de antecedência, mas a situação é diferente neste ano, disse Yang.

As compras menores podem ser resultado da ampla oferta global, disse Wang.

As processadoras chinesas ainda não reservaram carregamentos suficientes para cobrir as necessidades de cargas de novembro e dezembro. Elas ainda precisam comprar 1 milhão a 1,5 milhão de toneladas em novembro e cerca de 5 milhões de toneladas em dezembro, disse Tu, da JCI. As processadoras de soja precisam de, em média, cerca de 8 milhões de toneladas por mês.

A produção de soja dos EUA deverá subir 3,1 por cento e atingir uma máxima histórica de 4,43 bilhões de bushels na safra 2017-2018 porque a área de cultivo aumentou e atingiu um recorde, informou o Departamento de Agricultura dos EUA em 13 de outubro.

As margens de esmagamento de soja na China caíram levemente em relação ao pico deste ano, registrado em meados de outubro, mas ainda estão saudáveis, com mais de 100 yuans por tonelada, segundo a Shanghai JC Intelligence.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos