Mercado de futuros argentino quer embarcar na festa do bitcoin

Ignacio Olivera Doll e Camila Russo

(Bloomberg) -- A Argentina, uma das pioneiras na adoção do bitcoin, busca se manter na vanguarda do mercado de criptomoedas.

O mercado de futuros mais importante do país, o Mercado a Término de Rosário, conhecido como Rofex, está estudando oferecer serviços a investidores em moedas digitais. Negociações iniciadas há seis meses e rascunhos preliminares incluem serviços de custódia de divisas e a possibilidade de os clientes usarem bitcoins como garantia na negociação de futuros tradicionais.

Embora a abordagem aos clientes esteja "ainda em fase de laboratório", com serviços de blockchain e outros relacionados a criptomoedas como possibilidades, "nossa ideia é fazer um anúncio até o fim do ano", disse o gerente-geral do Rofex, Diego Fernández, em entrevista à Bloomberg News. Um serviço de custódia poderia estar em funcionamento em 2018 e "aceitar os bitcoins como garantia de contratos a futuro" seria a próxima etapa, acrescentou.

O interesse do Rofex é consequência da explosão global das criptomoedas, quando a capitalização de mercado do setor subiu de US$ 12 bilhões no início do ano para mais de US$ 190 bilhões. O bitcoin, a moeda digital mais popular em nível mundial, registrou valorização de mais de 630 por cento até esta altura do ano e desenvolvedores de todo o mundo criaram moedas menores em uma tentativa de imitar seu sucesso.

O bitcoin alcançou outro recorde na quinta-feira, superando pela primeira vez a casa dos US$ 7.000 depois que a CME Group, proprietária da maior bolsa do mundo, anunciou nessa semana que planeja lançar futuros de bitcoins até o fim do ano. A decisão contrasta com o desdém das autoridades de alguns países da Ásia, entre eles a China e a Coreia, que proibiram a operação de bolsas de criptomoedas e as ofertas iniciais de moedas dentro de suas fronteiras.

A Chicago Board Options Exchange, por sua vez, anunciou em agosto que também está estudando oportunidades com derivativos de bitcoins e a Comissão de Negociação de Futuros de Commodities dos EUA registrou em julho a plataforma de negociação de criptomoedas LedgerX, a primeira bolsa e câmara de compensação de derivativos de criptomoedas regulada pelo governo federal.

Futuro dos futuros

O bitcoin está ganhando adeptos com rapidez em países com histórico de inflação e desvalorização cambial por ser uma alternativa para preservar o valor de investimentos e poupanças. A criptomoeda também é atrativa em países com controles cambiais porque permite realizar transferências internacionais sem o controle de bancos centrais ou do setor financeiro.

A moeda digital começou a ganhar popularidade na Argentina a partir de 2012, depois que a então presidente Cristina Kirchner endureceu os controles cambiais e que a inflação debilitou o peso argentino.

Em 2017, o volume operado de bitcoins na Argentina aumentou para um recorde de 2,1 milhões de pesos na semana que terminou em 17 de junho, mais de quatro vezes o volume operado no mesmo período do ano passado, segundo a Local Bitcoins, plataforma de troca peer-to-peer de bitcoins com sede na Finlândia. O volume tem se mantido elevado e na semana passada a operação somou 1,5 milhão de pesos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos