Correção: Brexit provoca corrida por espaço em Frankfurt

Jack Sidders e Steven Arons

(Bloomberg) -- (Corrige nome da incorporadora no 9º parágrafo)

Com as negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia ainda em impasse, os bancos começaram a colocar seus planos de contingência em ação. O destino: Frankfurt.

O JPMorgan Chase está prestes a fechar um contrato para alugar espaço adicional na cidade alemã. Citigroup e Deutsche Bank estão procurando opções por lá, segundo pessoas com conhecimento do assunto. O Goldman Sachs Group já fechou contrato de aluguel de espaço para o qual não se mudará antes de 2019.

"O efeito Brexit está fazendo as empresas agirem mais cedo para assegurar espaço para expansão", disse Ben Remy, diretor da corretora Savills. O escritório de advocacia Baker & McKenzie assinou contrato para se instalar em um edifício em Frankfurt cinco anos antes da conclusão da obra, algo "sem precedentes", disse ele.

Bancos internacionais estão trabalhando em planos para transferir postos de trabalho do Reino Unido para o continente a fim de preservar o acesso ao maior bloco comercial do mundo após a saída dos britânicos, em 2019. A quantidade de espaço alugado em Frankfurt deve ser a maior em 10 anos, segundo a Savills, porque a infraestrutura bancária fez da cidade a preferida para relocações pós-Brexit.

O JPMorgan está para fechar um contrato para alugar mais um andar do prédio que já usa em Frankfurt, de acordo com duas pessoas que sabem do plano e pediram anonimato. O JPMorgan já aluga cerca de 8.000 metros quadrados no edifício Taunusturm. O banco provavelmente vai transferir para a cidade a operação de banco de investimento da UE. Um porta-voz preferiu não comentar.

O Citigroup estuda alugar mais espaço em Frankfurt, mas ainda não definiu o quanto precisa, de acordo com duas fontes. O banco ainda não preencheu todo o espaço disponível no imóvel que usa na cidade, onde trabalham 350 pessoas. Em julho, o Citigroup afirmou que pode criar até 150 vagas na UE após o Brexit.

O Goldman Sachs confirmou no mês passado que alugou cerca de 10.000 metros quadrados em um novo projeto imobiliário que deve ser concluído no começo de 2019. O banco também contratou uma opção para alugar mais 5.000 metros quadrados no prédio, disseram duas pessoas com conhecimento do acordo.

Corrida por espaço

A corrida por espaço levou a demanda e os valores dos aluguéis dos melhores locais para os maiores níveis em registro, mas investidores estão cautelosos quanto à possibilidade de a tendência continuar.

"Os recentes acordos de locação assinados em Frankfurt mostram que os bancos estão se aprontando para as mudanças trazidas pelo Brexit", disse Marc Weinstock, sócio-gestor da incorporadora DSK BIG Group, que tem uma carteira avaliada em 4,3 bilhões de euros (US$ 5 bilhões). "Mas é cedo para dizer quais mudanças ocorrerão e o tamanho delas no fim das contas."

A disparada da demanda também cria preocupações sobre o valor das propriedades comerciais na cidade.

"Não dá para investir nos níveis atuais", disse Andreas Muschter, presidente da Commerz Real, que administra aproximadamente 32 bilhões de euros. "Vemos a fantasia do Brexit no mercado de Frankfurt e está afetando os preços. O pessoal do mercado imobiliário adora fantasia e sempre paga por fantasia.''

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos