Deutsche Bank amplia equipe para aproveitar riqueza indiana

Chanyaporn Chanjaroen

(Bloomberg) -- O Deutsche Bank está incorporando 20 pessoas à divisão que presta assessoria de investimento a indianos ricos no exterior, principalmente em Dubai e Cingapura, segundo o chefe da unidade.

Os contratados, entre os quais 12 gerentes de relacionamento, aumentarão o número de funcionários para cerca de 100 até março, disse Amrit Singh, chefe de gestão de riqueza do banco para a Ásia Meridional global, na terça-feira, em entrevista em Cingapura. Assessores de investimentos e executivos de serviços compõem o restante das contratações, disse ele.

O Deutsche Bank está entre os gestores de patrimônio internacionais que buscam explorar a riqueza dos chamados indianos não residentes, cujas fortunas são estimadas em um total de US$ 1 trilhão a US$ 1,5 trilhão globalmente, segundo Singh. Cerca de 41 por cento dos ativos financeiros dos indianos ricos são mantidos no exterior, sendo os principais destinos Cingapura e Dubai, segundo relatório da Capgemini publicado nesta semana.

"O impulso comercial é o mais forte nesses dois lugares", disse Singh. A atividade dos clientes em ambas as cidades ajudou a triplicar a receita na unidade de riqueza da Ásia Meridional global desde que ele assumiu o negócio, em 2012, e os ativos sob gestão quase dobraram, disse ele, que preferiu não informar números específicos.

A divisão presta serviço a clientes da Índia, do Paquistão e do Sri Lanka no exterior e também a indianos que mantêm suas riquezas dentro do país, e representa cerca de 25 por cento dos ativos asiáticos de gestão de patrimônio do Deutsche Bank, disse Singh. A Asian Private Banker estimou que o banco alemão mantinha um volume regional de ativos sob gestão de cerca de US$ 47 bilhões no fim do ano passado.

O banco suíço Julius Baer Group e o Bank of Singapore, unidade de banco privado do Oversea-Chinese Banking, também estão ampliando seus negócios com indianos não residentes. No ano passado, o Julius Baer contratou cerca de 20 executivos bancários do BSI em Cingapura especializados nesse segmento.

O Bank of Singapore abriu um banco no Centro Financeiro Internacional de Dubai há um ano. Em junho, nomeou Vikram Malhotra para ampliar seus serviços de atendimento à Ásia Meridional, ao Oriente Médio e ao Norte da África a partir de Cingapura e Dubai.

No Deutsche Bank, os ativos dos indianos não residentes são captados principalmente na Suíça e em Cingapura, embora a cidade do Sudeste Asiático esteja ganhando cada vez mais preferência, disse Singh, que entrou no banco alemão em 1998. Ele se mudou de Londres para Cingapura em setembro.

O tamanho da divisão para indianos não residentes em Dubai em termos de atividades de consultoria a investimentos e marketing se tornou equivalente ao da cidade asiática, apesar de seu papel de captação, devido à taxa de crescimento mais rápida da região concentradora do Oriente Médio, disse Singh.

--Com a colaboração de Anto Antony

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos