Bolsas

Câmbio

Massacre de Las Vegas pode elevar custo de seguradoras em US$1bi

Hannah Levitt e Sonali Basak

(Bloomberg) -- O tiroteio em massa com mais vítimas da história moderna dos EUA está ampliando os custos das seguradoras, já sobrecarregadas neste ano por uma série de furacões, terremotos e incêndios florestais.

O setor pode ter que desembolsar mais de US$ 1 bilhão pelo massacre de Las Vegas, afirmam executivos de seguradoras. A ação de um atirador solitário, que matou quase 60 pessoas e feriu cerca de 500 ao abrir fogo contra uma multidão em um festival de música country, no mês passado, de seu quarto no hotel Mandalay Bay, gerou múltiplos processos. As vítimas acusaram o hotel e sua proprietária, a MGM Resorts International, e a promotora de shows Live Nation Entertainment de não protegerem as pessoas na ocasião.

O tiroteio aumentará os custos com desastres causados pelo homem para as seguradoras, depois que os prejuízos gerados por esses incidentes em todo o mundo totalizaram US$ 7,8 bilhões em 2016, segundo informações da resseguradora Swiss Re. Corretores e advogados estimam que as queixas relacionadas ao incidente de Las Vegas de seguros de saúde e de vida, e as ações judiciais coletivas, continuarão por anos.

"Não demorou muito para que chegássemos a um grande número" de queixas, disse Heidi Lawson, advogada da Mintz Levin, especialista em litígios e investigações a seguros. "Houve falha de gerenciamento, falha de supervisão, falha no estabelecimento de medidas internas de segurança."

Temporada cara

Entre os custos de longo prazo enfrentados pelas seguradoras em incidentes como o de Las Vegas estão danos físicos, responsabilização do hotel e da planejadora do evento, indenização a trabalhadores e reembolsos pelos festivais, segundo Peter Williams, líder global para eventos ao vivo na unidade global corporativa e de especialidades da Allianz.

A MGM espera que seu seguro cubra os passivos ligados a ações judiciais, informou a empresa em comunicado, no início da semana. A Live Nation preferiu não comentar o assunto, limitando-se a dizer que a empresa está cooperando integralmente com o FBI.

Os prejuízos com o massacre se somam a uma temporada de seguros já dispendiosa. O setor enfrenta US$ 120 bilhões em pedidos de indenização relacionados a furacões que passaram pelo Sudeste dos EUA neste trimestre, segundo a empresa de modelagem de catástrofes RMS. Os incêndios florestais que atingiram o norte da Califórnia em outubro podem custar às seguradoras até US$ 10 bilhões, disse David Havens, analista de crédito da Imperial Capital, na quarta-feira, em nota aos clientes.

As seguradoras têm bastante experiência em termos de previsão desse tipo de catástrofe natural, mas modelar os motivos de atacantes capazes de provocar catástrofes é um desafio muito maior para o setor, disse Nick Beecroft, ex-gerente de riscos emergentes da Lloyd's of London.

O incidente de Las Vegas foi o segundo da Live Nation neste ano que resultou em mortes em massa. Em maio, mais de 20 pessoas foram mortas em um ataque terrorista em um show de Ariana Grande em Manchester, no Reino Unido.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos