Bolsas

Câmbio

Fabricantes de turbinas eólicas sofrerão mais, diz Senvion

Brian Parkin

(Bloomberg) -- Com a queda dos preços e a competitividade dos leilões, as fabricantes de turbinas eólicas enfrentarão mais um ano de pressão sobre as receitas, segundo a empresa alemã Senvion.

A indústria eólica global pode ser afetada pelo crescimento mais lento, disse o diretor financeiro da Senvion, Manav Sharma, em entrevista, de Hamburgo. A queda rápida dos preços das turbinas está ligada à mudança para os leilões em um momento em que desenvolvedores e fornecedores de equipamentos forçam as estruturas de custos para ganhar licitações.

"Todos sentirão o impacto a curto prazo", disse Manav, que preferiu não comentar sobre as perspectivas da Senvion para 2018. A empresa anunciou em 10 de novembro que as receitas dos nove primeiros meses do ano estavam em linha com a orientação de 1,3 bilhão de euros (US$ 1,52 bilhão).

Nos últimos oito anos, os preços médios das turbinas caíram quase pela metade, de US$ 1,94 milhão por megawatt para US$ 990.000 por megawatt, segundo a Bloomberg New Energy Finance. A queda causou estragos em algumas fabricantes de turbinas que expandiram a capacidade de produção em face da desaceleração da demanda e do surgimento de leilões competitivos.

O recorde de instalações eólicas globais foi batido em 2015 com a adição de 58,6 gigawatts. As instalações caíram para 52,9 gigawatts em 2016 e provavelmente diminuirão para 52,7 gigawatts neste ano, segundo a BNEF, que projeta a adição de cerca de 55,7 gigawatts em nova capacidade em 2018.

"Ser uma empresa menor e mais ágil, atualmente, é um ponto forte", disse Manav. "O setor tem muito trabalho duro a fazer para se recuperar a partir de 2019."

O alerta da Senvion surge após a decisão da Siemens Gamesa Renewable Energy -- criada em abril com a combinação dos ativos eólicos da Siemens e da Gamesa Corporación Tecnológica -- de eliminar cerca de 6.000 postos de trabalho, que representam quase um quarto de sua equipe, devido à desaceleração das vendas. A empresa previu que a queda continuará no próximo ano fiscal.

A fabricante de turbinas Nordex, com sede em Hamburgo, que se combinou com a Acciona Windpower no ano passado, disse em setembro que cortará cerca de 500 postos de trabalho devido ao declínio das vendas na Europa. As ações da Vestas Wind Systems tiveram o maior declínio em seis anos em 9 de novembro depois que a empresa recebeu mais encomendas de turbinas no terceiro trimestre, mas a preços mais baixos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos