Bolsas

Câmbio

Austrália emite alerta para La Niña como evento fraco e curto

Rebecca Keenan

(Bloomberg) -- A Austrália ficou um passo mais perto de anunciar o La Niña ao emitir um alerta para o evento em um momento em que o Oceano Pacífico continua esfriando.

As temperaturas do mar no Pacífico tropical estão pouco abaixo dos limites do La Niña e mostram um claro avanço em direção ao padrão, informou o Escritório de Meteorologia do país, em seu website, na terça-feira. Indicadores atmosféricos mostraram sinais de mudança para um estado semelhante ao do La Niña, informou. A agência emitiu um alerta, o que significa uma chance de aproximadamente 70 por cento de ocorrência do evento.

O La Niña ocorre quando a atmosfera sobre o Pacífico equatorial reage ao esfriamento das temperaturas da água e normalmente provoca invernos mais frios no norte dos EUA, seca nas áreas de cultivo de soja no Brasil e chuvas que inundam as regiões produtoras de carvão da Austrália. No início do mês, os EUA afirmaram que havia se formado um La Niña fraco em outubro com 64 por cento de chances de durar até março.

A agência meteorológica da Austrália afirmou que todos os modelos climáticos internacionais atingem os limites do La Niña em dezembro, sendo que a maioria mantém os valores até fevereiro, pelo menos. Se o fenômeno se concretizar, será fraco e de curta duração, anunciou.

Os preços das commodities agrícolas, incluindo milho, soja, trigo, algodão, açúcar e café, podem subir e ganhar volatilidade caso o La Niña se concretize, informou a BMI Research no mês passado. A produção de algodão da Austrália pode se beneficiar porque a chuva que o evento traz pode encher barragens para os irrigadores, segundo a Cotton Australia.

O La Niña normalmente provoca chuvas acima da média no leste da Austrália no fim da primavera e no verão. No entanto, os padrões de temperatura da superfície do mar no Oceano Índico e mais perto da Austrália não são típicos do La Niña, o que reduz a probabilidade de chuva de verão de forma geral. O padrão também pode aumentar a probabilidade de ondas de calor prolongadas no sudeste da Austrália.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos