Bolsas

Câmbio

Banda vende mais que Bruno Mars sem chegar ao topo das paradas

Lucas Shaw

(Bloomberg) -- Uma velha banda de rock New Wave que nunca colocou uma canção no topo das paradas de sucesso nos EUA está vendendo mais ingressos de shows do que as maiores estrelas pop do mundo.

O Depeche Mode, grupo britânico de synth pop formado em 1980, está realizando uma das turnês mais notáveis da música moderna e sua sequência de shows de maior sucesso na história. A banda vendeu 1,27 milhão de ingressos durante os nove primeiros meses de 2017, mais do que Ed Sheeran, Justin Bieber ou Bruno Mars -- estrelas pop muito mais jovens que estão no auge da fama.

Em outubro, a banda se tornou o primeiro grupo ou artista a lotar quatro shows consecutivos no Hollywood Bowl, um anfiteatro ao ar livre nas colinas de Los Angeles que recebeu apresentações dos Beatles e de Luciano Pavarotti. Agora, o Depeche Mode está de volta à estrada para a segunda turnê europeia do ano e irá para a América Latina em 2018. Nada mal para um grupo cujo auge da venda de álbuns se deu há 20 anos.

"Cada vez que saímos e viajamos em turnês, tocamos para mais gente", disse Martin Gore, 56, guitarrista e principal compositor da banda. "É simplesmente incrível que isso esteja acontecendo nesta fase da nossa carreira."

Roqueiros velhos

O sucesso do Depeche Mode diz muito sobre o poder duradouro dos antigos grupos de rock, que responderam por uma grande fatia da indústria norte-americana de shows, avaliada em US$ 7,3 bilhões, no ano passado. O festival de maiores vendas de 2016 foi o Desert Trip, uma grande festa em Coachella Valley, na Califórnia, com artistas que ganharam fama há meio século. Segundo a empresa de pesquisa Pollstar, as melhores turnês de 2017 foram as do Guns N 'Roses e do U2, que lançaram seus álbuns mais vendidos há 30 anos.

Contudo, a alta tardia na carreira do Depeche Mode é também uma homenagem a uma banda que nutriu e expandiu cuidadosamente um fiel exército de fãs, conhecido como Black Swarm (ou Devotees), que a segue em todo o mundo. A mania pelo dance pop do grupo é mais forte na Alemanha, onde os últimos sete álbuns lideraram as paradas, mas chega a todos os cantos do globo.

A banda nunca parou de viajar, nem mesmo durante uma época regada a drogas que o gerente Jonathan Kessler chama de "os anos experimentais". O vocalista principal, Dave Gahan, cuja voz de barítono característica é uma das marcas da banda, foi ganhando confiança como intérprete a cada turnê, apresentando-se no palco como um homem possuído. Se a banda em certo momento teve dificuldades para vender alguns milhares de ingressos em Nashville, no Tennessee, EUA, agora toca para multidões mais de três vezes maiores no berço da música country.

O Depeche Mode não vende canções como na década de 1990, nem atingiu o patamar de bandas britânicas como Coldplay ou Oasis. Mas, com grande atraso, esse grupo de gênero musical antes ridicularizado ganhou respeito. Os críticos adoraram a última turnê, e Marilyn Manson, Trent Reznor, da Nine Inch Nails, e Rihanna mencionaram a banda como influência importante.

"Eles não eram apreciados antes", disse Kessler. "As pessoas não entendiam quem eram, nem a importância musical deles. Foi uma das primeiras bandas eletrônicas."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos