Bolsas

Câmbio

Barões do bitcoin já não precisam vender para viver no luxo

Olga Kharif

(Bloomberg) -- As atribulações dos primeiros investidores do bitcoin. Até pouco tempo, aqueles que tinham pago praticamente nada pela moeda virtual e a viram disparar tinham apenas uma maneira de aproveitar a nova riqueza -- vendendo. E muitos não estavam dispostos a fazer isso.

Os credores à margem do setor financeiro agora estão oferecendo uma solução: empréstimos com garantia da moeda digital.

Enquanto os bancos recuam, startups com nomes como Salt Lending, Nebeus, CoinLoan e EthLend estão preenchendo esse espaço vazio. Algumas dão empréstimos -- ou planejam dar -- diretamente e outras ajudam os mutuários a obter financiamento de terceiros. As condições podem ser onerosas em comparação com os empréstimos tradicionais. Mas o mercado tem um potencial enorme.

O preço do bitcoin flutuou em torno de US$ 17.000 em boa parte desta semana, dando à criptomoeda um valor de mercado total de quase US$ 300 bilhões. Aproximadamente 40 por cento desse total está em mãos de cerca de 1.000 usuários. São milionários digitais que querem casas, iates e protetores de olhos de pele de cordeiro de US$ 590.

"Eu estaria muito interessado em fazer isso com meus próprios ativos, mas ainda não achei um serviço que permita isso", disse Roger Ver, conhecido como "Jesus do bitcoin" por seus discursos a favor da criptomoeda, da qual ele é um dos maiores detentores.

Problemas

Um problema é que o preço do bitcoin oscila violentamente, o que faz com que mantê-la seja perigoso para os credores. Isso significa que as condições podem ser exorbitantes.

Quem quiser US$ 100.000 em dinheiro provavelmente precisaria colocar US$ 200.000 em bitcoins como garantia e pagar 12 por cento a 20 por cento de juros por ano, segundo David Lechner, o diretor de finanças da Salt, que já organizou dezenas de empréstimos.

Essas são taxas de juros em linha com as dos empréstimos pessoais sem garantia. A diferença é que colocar bitcoin como garantia permite tomar empréstimos muito maiores.

Interesse

Os novos empréstimos seriam particularmente interessantes para os mineradores, cujos computadores resolvem problemas matemáticos complexos para obter novas moedas e ajudam a confirmar transações, disse Aaron Brown, ex-diretor administrativo da AQR Capital Management que investe no bitcoin e escreve na Bloomberg Prophets. Eles têm que pagar a eletricidade e os equipamentos. Mas, como muitos fiéis do bitcoin, eles não querem vender suas criptomoedas. As startups do bitcoin também precisam de dinheiro para pagar os funcionários.

No fim do mês passado, a Nebeus, uma startup com sede em Londres, começou a ajudar credores externos a oferecer empréstimos com garantia de bitcoins e ether, outra criptomoeda. A empresa organizou quase 100 empréstimos desse tipo no primeiro dia, segundo Konstantin Zaripov, diretor administrativo da companhia. Desde então ela já fez mais de 1.000.

Por enquanto, a maioria dos bancos está só observando, relutando em oferecer serviços que poderiam deixá-los com bitcoins. Algumas empresas não têm uma maneira segura de armazenar criptomoedas. E não existe um modelo estabelecido para lançá-las em um balanço.

--Com a colaboração de Dakin Campbell

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos