Bolsas

Câmbio

Bitcoin pode estar em bear market mesmo subindo 1.600% no ano?

Eric Lam

(Bloomberg) -- O bitcoin ainda não redefiniu o sistema de pagamentos global. Mas pode levantar dúvidas a respeito da definição de bear market.

Estrategistas em ações -- e jornalistas financeiros -- normalmente declaram bear market após uma queda de 20 por cento em relação a um pico. Em determinado momento, na quarta-feira, o bitcoin atendeu o critério, segundo o preço composto da Bloomberg. A mínima do dia ficou 20 por cento abaixo da máxima recorde, estabelecida na distante... segunda-feira.

Foi a primeira vez que o bitcoin caiu em território bear market desde o mês passado. Houve três mergulhos do bitcoin em bear market desde agosto.

Em comparação, o último bear market registrado pelo S&P 500 Index de ações foi em 2009. Quando o Wells Fargo, banco americano com capitalização de mercado aproximadamente equivalente à do bitcoin, registrou pela última vez um bear market em suas ações, o declínio levou mais de um ano para se materializar -- de julho de 2015 a outubro de 2016.

A queda mais recente do bitcoin surge em meio a um turbilhão de notícias na terra das criptomoedas, por exemplo sobre a rápida ascensão do rival bitcoin cash e a falência de uma bolsa sul-coreana que sofreu um ciberataque. Para quem comprou no início do ano, o consolo de estar em um bear market é ainda registrar alta de mais de 1.600 por cento no ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos