Bolsas

Câmbio

Analistas reduzem projeções para iPhone X devido à demanda fraca

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Parece que a Apple não está tendo um Natal feliz.

Analistas reduziram as projeções para as remessas do iPhone X no primeiro trimestre do próximo ano, citando sinais de demanda fraca no final da temporada de compras do fim do ano.

Zhang Bin, analista da Sinolink Securities, afirmou em um relatório na segunda-feira que as remessas de aparelhos no período podem chegar a ser de apenas 35 milhões, ou seja, 10 milhões menos do que ele havia estimado anteriormente. "Depois de terminada a primeira onda da demanda, o mercado agora receia que o preço alto do iPhone X possa enfraquecer a demanda no primeiro trimestre", escreveu Zhang.

A JL Warren Capital afirmou que as remessas vão cair de 30 milhões de unidades no quarto trimestre para 25 milhões de unidades no primeiro trimestre de 2018, citando a redução de pedidos em alguns fornecedores da Apple. A queda reflete "a demanda fraca devido ao preço elevado e à falta de inovações interessantes do iPhone X", afirmou a empresa de pesquisa com sede em Nova York em nota enviada aos clientes na sexta-feira.

"A má notícia é que o X, altamente divulgado e anunciado, não aumentou a demanda global pelo iPhone X", de acordo com a nota.

A Apple vinha contando com a versão do 10º aniversário do iPhone para impulsionar as remessas em um momento em que seu valor de mercado avança rumo a US$ 1 trilhão. A empresa com sede em Cupertino, Califórnia, enfrenta novos desafios da Samsung Electronics, que está se recuperando rapidamente do recall do Galaxy Note 7 após incêndios. Além disso, marcas chinesas como Huawei, Oppo e Xiaomi também estão atraindo potenciais clientes na China e em outros mercados emergentes, como a Índia.

Reportagem taiwanesa

A Apple teria reduzido a previsão de vendas para o primeiro trimestre de 50 milhões de unidades para 30 milhões, segundo o jornal taiwanês Economic Daily News, que citou representantes não identificados da cadeia de abastecimento. O jornal também afirmou que o principal centro de fabricação de iPhone X da Hon Hai Precision Industry em Zhengzhou, na China, parou de recrutar trabalhadores. A empresa, também conhecida como Foxconn, é a única montadora do iPhone X e também produz os aparelhos em Shenzhen e em Chengdu.

Ações de fornecedores asiáticos, como Lens Technology, Shenzhen Desay Battery Technology e Largan Precision, caíram na segunda-feira após a notícia. A Lens se recuperou de parte das perdas nesta terça-feira, mas a Largan continuou caindo. A Shenzhen Desay permaneceu quase inalterada.

As ações da Hon Hai caíram pelo segundo dia consecutivo nesta terça-feira e caminham para o fechamento mais baixo desde março. A fabricante de telas de toque General Interface Solution Holding despencou 8,4 por cento nesta terça-feira, após registrar uma leve queda na segunda-feira.

Um representante da Apple não quis comentar sobre os arranjos de produção. A Foxconn afirmou em uma declaração enviada por e-mail que a política corporativa a impede de comentar esses assuntos.

A Apple recebeu um raro rebaixamento na semana passada do analista Jeffrey Kvaal, da Nomura Instinet, que disse que as vendas de iPhone X, bem como outros fatores positivos, já estão incorporados no preço das ações. Ele reduziu sua classificação de "compra" para "neutro".

A ação subiu 51 por cento neste ano, o que levou o valor de mercado da companhia para quase US$ 900 bilhões.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos