Bolsas

Câmbio

As vendas de imóveis mais loucas de 2017, de Mônaco a Sydney

James Tarmy

(Bloomberg) -- Este foi um ano esquisito para os imóveis, particularmente no nível mais alto do mercado. Em certas regiões, propriedades com cotações recorde chegaram ao mercado, mas houve poucas vendas. Em outras, os meramente ricos fizeram muitos negócios - e as vendas nos patamares que só os super-ricos podem se permitir estagnaram.

Megamansões foram rejeitadas, mas não os megapreços. Foi um ano em que bilhões mudaram de dono, mas poucos recordes foram quebrados.

A seguir, algumas das vendas mais interessantes do ano. Algumas representam o topo de sua respectiva região, outras são emblemas de tendências no setor.

1. The Girasol Estate em São Bartolomeu, na faixa de US$ 67 milhões

O imóvel: Uma propriedade de 2,83 hectares na ilha caribenha de São Bartolomeu, com 160 metros de beira-mar e duas mansões.

Por quê? A venda, uma das maiores deste ano no Caribe, ocorreu depois que o furacão Irma arrasou as ilhas circundantes. É uma prova de que o setor imobiliário ainda está em boom no paraíso e traz um grande alívio a muitos proprietários de residências secundárias, que andam nervosos.

Vendedor: Sibarth Real Estate, afiliada da Christie's International Real Estate

2. Uma cobertura tríplex em Monte Carlo, Mônaco, US$ 61 milhões

O imóvel: Esta cobertura de três andares com mais de 464 metros quadrados fica em um lugar perfeito no centro de Monte Carlo: o Quadrado Dourado. Tem seis quartos, cada um com uma banheira na suíte, e vistas amplas para o Mediterrâneo.

Por quê? Mônaco, um refúgio seguro para os super-ricos do mundo todo e para o dinheiro deles, nunca foi precisamente um lugar de pechinchas. Apesar de algumas ofertas superexclusivas de mais de US$ 100 milhões no diminuto município, esta venda ficou quase no topo.

Vendedor: Hammer Draff Great Properties, afiliada da Christie's International Real Estate

3. The Elaine Estate, Sydney, mais de 70 milhões de dólares australianos (US$ 54 milhões)

O imóvel: Uma mansão de 154 anos à beira-mar em Point Piper, um subúrbio de Sydney, que pertenceu à mesma família durante mais de 126 anos. Ela foi vendida a um bilionário australiano de trinta e poucos anos, do setor de tecnologia, que agora poderá desfrutar da quadra de tênis de grama, da piscina e dos escassos 0,69 hectares da casa com sua jovem família

Por quê? É um recorde nacional de vendas na Austrália.

Vendedor: Ken Jacobs, afiliada da Christie's International Real Estate.

4. Uma cobertura no 15 Central Park West, Nova York, US$ 50,55 milhões

O imóvel: Um apartamento de quatro quartos e cinco banheiros que ocupa 492 metros quadrados no 40° andar do edifício Robert A.M. Stern. Tem uma biblioteca, uma sala de jantar formal e - como se esperaria de um apartamento com essa altura, tamanho e preço - amplas vistas da cidade e do Central Park.

Por quê? Cotado inicialmente em US$ 59 milhões, este apartamento, uma das maiores vendas de Nova York em 2017, é um lembrete útil de que os preços pedidos neste patamar costumam superar o preço real do apartamento e de que - mesmo diante da fartura de apartamentos com preços semelhantes na cidade - o 15 Central Park West continua sendo uma propriedade atraente.

Vendedor: Douglas Elliman Real Estate

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos