ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Amazon vai comprar Target neste ano, prevê analista

Beth Mellor

02/01/2018 14h20

(Bloomberg) -- Talvez a revolução provocada pela Amazon no varejo ainda não tenha acabado, segundo um famoso analista do setor de tecnologia.

O gigante da internet vai adquirir a Target, escreveu Gene Munster, cofundador da Loup Ventures, em um relatório que destaca oito previsões para o setor de tecnologia em 2018. A Amazon sacudiu o varejo no ano passado com a compra da Whole Foods Market por US$ 13,7 bilhões.

"Por dois motivos, a Target é o parceiro off-line ideal para a Amazon: público comum e uma quantidade de lojas gerenciável, mas abrangente", escreveu Munster, observando que as duas companhias têm focos em mães e famílias. "Adivinhar o momento em que isso acontecerá é difícil, mas ver o valor dessa combinação é fácil."

Os números da participação de mercado sugerem que o acordo poderia ser aprovado pelos órgãos reguladores, e a Wal-Mart Stores continuaria tendo uma fatia de mercado maior que a da combinação Amazon-Target, disse Munster. Segundo ele, o valor estimado para a venda é de US$ 41 bilhões, um prêmio de 15 por cento em relação ao valor atual da Target.

Munster, de 46 anos, cofundou a Loup Ventures, uma empresa de capital de risco dedicada à realidade virtual e à inteligência artificial, no início de 2017. Antes disso, ele trabalhou durante 21 anos como analista da Piper Jaffray, onde ficou conhecido pela precisão na previsão do potencial financeiro da Apple.

Prever o próximo acordo da Amazon se tornou um tema recorrente para os analistas. Em novembro, o analista Tom Forte, da DA Davidson, escreveu que a Lululemon Athletica poderia ser atraente para a varejista on-line. Por sua vez, Paul Lejuez, analista do Citigroup, catalogou recentemente uma série de possíveis alvos, incluindo Abercrombie & Fitch, Bed Bath & Beyond e Advance Auto Parts.

Ainda assim, a Amazon talvez não esteja interessada apenas em negócios do varejo. No mês passado, Ken Leon, analista do banco CFRA, escreveu que ele prevê que a empresa da internet comprará um banco de pequeno ou médio porte em 2018.

--Com a colaboração de Paul Jarvis

Mais Economia