ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Hyundai quer alcançar Google e GM em transporte sem motorista

Sohee Kim

04/01/2018 15h41

(Bloomberg) -- No futuro do transporte, qual seria o resultado de uma combinação dos modelos de negócio da Tesla, do Google e da Samsung Electronics com o orçamento da quinta maior fabricante de veículos do mundo?

É o que Youngcho Chi está prestes a descobrir.

Contratado pela Samsung, Chi montou uma equipe de 200 estrategistas e pesquisadores na Hyundai Motor, a fabricante sul-coreana de veículos de 50 anos que lutou para chegar ao topo do mundo automotivo e atualmente está fazendo o possível para frear uma queda de suas vendas em alguns de seus maiores mercados. O trabalho dele é colocar a Hyundai na vanguarda das tecnologias que estão revolucionando a indústria do transporte.

Embora tenha entrado tarde no jogo, a Hyundai está desenvolvendo veículos e sistemas de software para um serviço de táxi sem motorista para competir com suas rivais tradicionais, como a Nissan Motor e a General Motors, e com empresas de tecnologia como a Waymo, a unidade da Alphabet, controladora do Google, que prometeu oferecer carros totalmente autônomos para uso público em breve.

"A tarefa mais urgente para nós é o serviço de mobilidade", disse Chi, 58, diretor de inovação e vice-presidente executivo responsável pela divisão de Estratégia e Tecnologia da Hyundai, em entrevista de seu escritório em Seul. "Estamos um pouco atrasados, mas a oportunidade ainda não está completamente perdida."

Apoio

Ele tem o apoio de uma das maiores empresas industriais do mundo. A Hyundai anunciou que investirá mais em pesquisa e desenvolvimento e expandirá a cooperação. A empresa abriu um centro de dados na província chinesa de Guizhou e um centro de desenvolvimento de tecnologia no Vale do Silício em 2017, e neste ano ela planeja estabelecer unidades para investir em startups em Israel e Berlim.

A divisão de Chi coordenará essas atividades, criando um esquema para integrar tudo, da inteligência artificial e a robótica ao armazenamento de energia. Em uma ruptura com sua tradicional estratégia de independência, a fabricante de carros montou parcerias com a Cisco Systems e a Baidu para a conectividade de veículos e criou um fundo de US$ 45 milhões com a SK Telecom e a Hanwha Asset Management para investir em IA, mobilidade inteligente e tecnologia financeira.

À medida que o setor se afasta dos veículos convencionais à gasolina com motoristas, o software e os aplicativos relacionados a veículos vão se tornando fundamentais para o futuro das fabricantes de automóveis. A McKinsey & Co. estima que a receita de serviços móveis e de dados no transporte dará um salto para US$ 1,5 trilhão em 2030, impulsionada pelos serviços de mobilidade compartilhada e de conectividade de dados.

"A rapidez é crucial em todos os aspectos", disse Chi. "Eu peço aos meus colegas que façam em um dia tarefas que antes eram feitas em uma semana."

Mais Economia