Bolsas

Câmbio

Política restritiva do Fed poderia provocar recessão nos EUA

Richard Miller

(Bloomberg) -- As autoridades do Federal Reserve abandonaram a ideia de que eles podem preparar a economia dos EUA para a aterrissagem suave perfeita - quando a inflação se estabiliza na meta, o crescimento volta a acelerar moderadamente até atingir a tendência e a política monetária se torna neutra.

Em vez disso, eles estão preparados para pisar no freio.

"Quase todos" os funcionários da Fed acreditam que o banco central terá que restringir a economia aumentando as taxas de juros acima do nível de equilíbrio, no longo prazo, para atingir seus objetivos, segundo a ata da reunião em 12 e 13 de dezembro, publicada em 3 de janeiro.

"Talvez o Fed não tenha o luxo de um deslocamento simples e monótono de volta para o equilíbrio", disse Lou Crandall, economista-chefe da Wrightson ICAP em Jersey City, Nova Jersey. "Eles terão que ajustar objetivamente a política monetária para aumentar o desemprego e estabilizar a inflação na meta deles."

Importância

Isto é importante porque o banco central é mais propenso a cometer um erro com sua política e levar sem querer a economia para uma recessão se tentar ativamente restringir o crédito e aumentar o desemprego em vez de só eliminar a flexibilidade monetária do sistema financeiro, como ele está fazendo agora.

"Não é algo predestinado, mas os riscos são maiores", disse Michael Feroli, economista-chefe do JPMorgan Chase & Co. para os EUA em Nova York.

Atingir o equilíbrio certo também poderia apresentar riscos políticos. O desafio será enfrentado pelo governador do Fed Jerome Powell, escolhido pelo presidente Donald Trump para substituir a presidente Janet Yellen quando o mandato dela expirar em 3 de fevereiro. As iniciativas para desacelerar a economia - deixar pessoas sem emprego para que a inflação não se descontrole - poderiam ir contra as metas de emprego e de crescimento econômico do governo.

Em discurso pronunciado em janeiro de 2016, o presidente do Fed de Nova York, William Dudley, observou que historicamente a economia "sempre caiu em uma recessão completa" sempre que o desemprego subiu mais de 0,3 a 0,4 pontos porcentuais.

Projeções

Os funcionários da Fed projetam que a taxa de desemprego cairá para 3,9 por cento no fim deste ano e depois ficará neste patamar até subir para 4 por cento no fim de 2020, segundo a mediana de projeções deles. Essa taxa de desemprego continuaria sendo inferior à de novembro, de 4,1 por cento, e ao nível de 4,6 por cento calculado por eles como equivalente ao pleno emprego.

Desde a adoção da meta em janeiro de 2012, a inflação esteve abaixo do objetivo do banco central em 90 por cento do período. Em novembro, o índice de preços de despesas para consumo pessoal ficou 1,8 por cento acima do que no mesmo período do ano anterior.

"É um pouco tarde para imaginarmos uma aterrissagem suave da economia" sem que o desemprego acabe aumentando, disse Feroli, e acrescentou, "eles têm uma tarefa muito difícil à frente".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos