Bolsas

Câmbio

Após acabar com Uber, Didi ataca compartilhamento de bicicletas

Lulu Yilun Chen

(Bloomberg) -- A Didi Chuxing se tornou o serviço dominante de transporte particular na China após submeter a Uber a ataques. Agora, quer fazer o mesmo no setor de compartilhamento de bicicletas, entrando na batalha cada vez mais acalorada entre as arqui-inimigas Mobike e Ofo.

A Didi declarou que quer se tornar uma plataforma "abrangente" para o compartilhamento de bicicletas, cooptando o terceiro nome do setor, a Bluegogo, que enfrenta dificuldades, e iniciando o seu próprio serviço de duas rodas. A decisão diverge da estratégia anterior, de defender a Ofo da Mobike, que é financiada pela gigante das redes sociais Tencent Holdings. A Didi agora está disposta a trabalhar com outros serviços de bicicletas, mesmo oferecendo sua própria linha, afirmou a companhia em um comunicado.

A maior startup do mundo depois da Uber Technologies está se aprofundando em uma arena de transportes disputada ferozmente. A Meituan Dianping, gigante on-line que se tornou a quarta maior startup do mundo no ano passado, aventurou-se com táxis e compartilhamento de carros. A Mobike anunciou em dezembro que entraria no aluguel de veículos. Mas o apoio a rivais da Ofo poderia provocar uma cisão entre as duas empresas.

"De certo modo, ela está competindo diretamente com a Ofo, mas resta saber o quanto a Didi está disposta a mergulhar em um mercado que exige muito capital", disse Li Muzhi, analista da Arete Research Services em Hong Kong. "A Didi está tentando aumentar seu mercado-alvo e aumentar a confiança dos usuários em sua plataforma para coletar dados. Isso é especialmente importante agora que mais rivais estão chegando."

A decisão de Didi poderia alterar a dinâmica de um setor que desperta o interesse de algumas das maiores empresas da China. Da Tencent à Alibaba Group Holding, elas cobiçam os dados sobre pagamento, localização e comportamento gerados pelos milhões de passageiros que usam o telefone para pagar as corridas diariamente. Especula-se que os investidores da Mobike e da Ofo tenham começado a conversar sobre uma possível fusão no ano passado - o primeiro passo para acabar com uma guerra de subsídios caros -, mas não se sabe como a entrada da Didi no compartilhamento de bicicletas poderia afetar as discussões.

A Ofo, que arrecadou fundos com avaliações impressionantes e agora está se expandindo rapidamente para o exterior, enfrentará um futuro incerto se sua investidora-chave, a Didi, deixar de lado a exclusividade neste relacionamento - especialmente porque tanto sua maior rival, a Mobike, quanto a Didi contam com o apoio da Tencent.

A Ofo não quis comentar. Do seu lado está a Ant Financial, de Jack Ma, que também apoia a rival Hellobike.

Por enquanto, a Didi anunciou que está ansiosa para trabalhar com outros serviços de compartilhamento de bicicletas, que são mais de uma dezena. Segundo um acordo, a Bluegogo conservará sua marca, seus depósitos e suas dívidas. Mas os usuários terão a opção de converter depósitos Bluegogo em cupons Didi de valor equivalente.

"A Didi espera trabalhar com um número maior de nossos parceiros para apoiar o crescimento sustentável do setor de transporte compartilhado", disse a companhia em um comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos