ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

ARM revela que 5% de seus chips são vulneráveis a hackers

Ian King

10/01/2018 13h15

(Bloomberg) -- A ARM Holdings, cuja tecnologia está no coração da maior parte dos principais componentes dos telefones celulares, informou que cerca de 5 por cento dos chips fabricados com seus designs e propriedade intelectual são vulneráveis à possível invasão de hardwares conhecida como Spectre, revelada pelas empresas de tecnologia na semana passada.

Os designs e o conjunto de instruções da ARM são os elementos de base de todos os chips instalados em smartphones e em uma série de outros aparelhos. Apple, Qualcomm e Samsung Electronics estão entre as clientes da empresa. Essa estimativa de exposição de 5 por cento ao Spectre é baseada nos 120 bilhões de chips fabricados usando a tecnologia da ARM desde 1991, muitos dos quais fora de uso há tempos. A ARM, que tem sede no Reino Unido, é de propriedade da SoftBank Group.

Na semana passada, a Intel e outras grandes empresas de tecnologia afirmaram que um recurso usado para acelerar todos os processadores modernos possibilita o acesso ilícito a dados armazenados nos chips, informações antes tidas como seguras. As duas vulnerabilidades expostas são conhecidas como Spectre e Meltdown. A Apple, a Microsoft, o Google, da Alphabet, e outras empresas correram para atualizar máquinas e forneceram estimativas variadas a respeito da lentidão que esses remédios podem gerar.

"A ARM considerará o Spectre em futuros processadores, mas será necessária disciplina contínua no design de sistemas seguros, o que precisa ser corrigido por meio de software e hardware", informou a ARM em comunicado. "Enquanto isso, estimulamos os usuários individuais a seguirem boas práticas de segurança e entrarem em contato com o fabricante de seus aparelhos para obterem as últimas atualizações de software com mitigações para o Spectre."

Qualquer exposição ao Meltdown seria ainda menor, afirmou a empresa.

Enquanto a Intel, cujos processadores são dominantes em computadores pessoais e servidores, disse que a questão engloba os microprocessadores de uma série de empresas, há quem discorde da mensagem enviada pelo setor como um todo. A concorrente Advanced Micro Devices afirmou que, devido à forma em que projetou seus chips mais recentes, é improvável que estejam vulneráveis a ataques.

O impacto da exposição das falhas de segurança derrubou as ações ligadas a chips. Após subir 6,6 por cento ao longo de uma série positiva de cinco dias no início do ano, o Semiconductor Index da Bolsa de Valores de Filadélfia caiu 1 por cento na terça-feira. A AMD registrou declínio de 3,8 por cento depois que a Microsoft anunciou a interrupção temporária de alguns patches para chips da AMD e a Intel recuou 2,5 por cento depois que a Microsoft revelou que a correção de uma falha nos chips poderá deixar alguns servidores significativamente mais lentos.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia