ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Análise: Cadeia de abastecimento da Apple revela futuro do iPhone

Tim Culpan

11/01/2018 13h16

(Bloomberg) -- A Hon Hai Precision Industry causou bastante agitação no final da quarta-feira, quando informou as vendas de dezembro.

Além de publicar um crescimento ano a ano de 50,2 por cento no mês, a montadora do iPhone tomou a incomum decisão de comentar as operações, afirmando que sua "unidade de smartphones apresentou um crescimento forte em dezembro, em comparação com o ano anterior".

Não é muito, mas o carro-chefe da Foxconn Technology Group, de Terry Gou, é incrivelmente de pouca ajuda quando se trata de compartilhar informações com a comunidade de investimentos. Não realiza conferências de relações com investidores, não fornece projeções e nem mesmo destrincha a receita. É por isso que ser analista da Hon Hai é um dos empregos mais difíceis e estranhos do setor.

Quando a Hon Hai menciona os smartphones, ela se refere ao iPhone, porque a Hon Hai não fabrica aparelhos para mais ninguém. Em teoria, sua subsidiária FIH Mobile, que tem como clientes as marcas chinesas Xiaomi e Huawei, poderia ser responsável por esse aumento, porque seus números são somados à receita da Hon Hai. Mas a receita da FIH equivale a menos de 5 por cento da receita de sua matriz, então isso é improvável.

É tentador ver esse crescimento como um sinal de que as nuvens que pairavam sobre a terra do iPhone foram embora, considerando toda a preocupação que atormentou o mercado durante os últimos meses. Um aumento na receita da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. - que produz os principais processadores do iPhone - durante o mesmo mês pareceria apoiar a ideia de um novo vigor da Apple.

Mas eu tomaria cuidado.

A TSMC e a Hon Hai estão em extremidades opostas da cadeia de abastecimento, o que significa uma diferença de dois a três meses entre a fabricação de chips e a montagem do produto. Não vimos um aumento muito grande nas vendas de outubro ou novembro da TSMC, que teria alimentado o dezembro forte da Hon Hai. É bem possível que este aumento de fim de ano se deva a outros clientes em áreas como computação de alto desempenho, IA, gráficos ou mineração de bitcoin.

Se formos mais para o princípio da cadeia, a situação fica um pouco obscura. A fabricante de câmera para smartphones Largan Precision, a fornecedora de componentes Kinsus Interconnect Technology e as fabricantes de carcaças Catcher Technology e Foxconn Technology registraram um aumento em outubro. Isso implicaria suprimentos para a posterior montagem do iPhone, e eu acho que foi isso o que aconteceu.

A Foxconn Technology, um membro relativamente pequeno e insignificante da família Foxconn, fornece peças metálicas exteriores para o iPhone. No entanto, seu enorme crescimento neste ano - 250 por cento em dezembro! - não veio de Cupertino, mas de Kyoto. Não precisamos nem tentar adivinhar: nos últimos sete meses, a companhia incluiu uma observação em seu relatório de vendas que informa que "a unidade de montagem de consoles de jogos continuou crescendo". Isso significa o Switch, da Nintendo.

Então, vamos analisar o resto desses nomes. Mas, em primeiro lugar, uma advertência: estou tomando apenas uma pequena amostra das dezenas de empresas que integram a cadeia de abastecimento do iPhone, e é muito provável que outros clientes, além da Apple, também estejam impactando os balanços. Dito isto, realmente parece que este impulso inicial no quarto trimestre foi apenas uma formação de estoque depois das restrições de fabricação do iPhone anteriormente relatadas.

Um acentuado esfriamento em novembro e dezembro indica que a causa mais provável do dezembro forte da Hon Hai foi a recuperação da produção. Se a Apple de fato esperasse uma demanda forte pelo iPhone no primeiro trimestre, as encomendas de componentes teriam permanecido robustas. Não vejo muitos indícios de que isso esteja acontecendo. No entanto, estou apenas tentando prever o futuro.

Esta coluna não reflete necessariamente a opinião da Bloomberg LP e de seus proprietários.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia