ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Pressionada a reduzir plásticos, Coca-Cola expandirá reciclagem

Jennifer Kaplan e Anna Hirtenstein

19/01/2018 16h18

(Bloomberg) -- O CEO da Coca-Cola, James Quincey, está dando início a uma campanha de reciclagem como parte das iniciativas para melhorar a imagem da gigante de bebidas.

A empresa de refrigerantes, que opera em mais de 200 países, estabeleceu a meta de reciclar uma garrafa ou lata para cada unidade vendida até 2030. Também se compromete a virar líder corporativa na redução de resíduos plásticos, que entopem rios e oceanos.

O plano da Coca é orientar os consumidores para o processo de reciclagem com programas educativos, segundo comunicado divulgado nesta sexta-feira. A empresa quer garantir também que todas as suas embalagens sejam, de fato, ao mesmo tempo recicláveis e feitas com proporções cada vez maiores de materiais reciclados. O objetivo da empresa é ter em média 50% de conteúdo reciclado em suas garrafas até 2030.

Leia também:

A produtora de bebidas de 132 anos aposta que o desempenho ambiental melhor aumentará sua credibilidade com os consumidores, que exigem cada vez mais um comportamento responsável das empresas. O McDonald's -- também frequentemente criticado pelos resíduos gerados pela embalagem de seus produtos -- também anunciou nessa semana a intensificação da reciclagem e o uso de materiais mais ecológicos.

'Problema global'

Os resíduos de embalagens "são um problema global muito visível do ponto de vista externo do consumidor e das partes interessadas", disse Ben Jordan, diretor sênior de política ambiental da Coca-Cola, em entrevista.

A pressão para que as grandes empresas tomem medidas está aumentando. Nesta semana, a União Europeia anunciou uma nova estratégia para garantir que todas as embalagens sejam recicláveis até 2030 e para limitar itens descartáveis, como talheres e garrafas. A primeira-ministra britânica, Theresa May, por sua vez, traçou um plano semelhante, afirmando que o uso excessivo de plástico é "um dos grandes flagelos ambientais do nosso tempo".

Atualmente, apenas em torno de 10% do plástico mundial é reciclado, e o restante se acumula em aterros e outros depósitos e muitas vezes acaba no oceano. No ritmo atual, haverá mais plástico do que peixes nos oceanos até 2050, segundo relatório da Fundação Ellen MacArthur, uma das parceiras da Coca-Cola na nova iniciativa.

As metas da Coca-Cola para a reciclagem são exigentes, considerando o conjunto de diferentes regras estabelecidas pelos países, Estados e governos locais. Itens como embalagens de suco e garrafas PET promocionais de plástico colorido são especialmente difíceis de reciclar. A enorme escala global da empresa, por sua vez, dificulta ainda mais a iniciativa.

Condições locais

Como resultado, a empresa precisa se adaptar às condições de cada localidade.

Por exemplo, 72% das embalagens da Coca já são coletadas na Europa, disse Quincey, em teleconferência com a imprensa. A Coca-Cola também tem investido em programas de reciclagem no México, país onde Quincey trabalhou à frente dos negócios. Agora, cerca de 60% das garrafas plásticas são recicladas no país, em contraste com cerca de 9 por cento em 2002. Mas um quarto dos países do mundo não tem nenhuma infraestrutura formal de coleta de lixo, disse ele.

"Uma coisa é coletar -- e acho que esse é o maior desafio da atualidade -- para que não acabe no lugar errado, nos oceanos. Mas ainda é preciso fazer algo com isso, para que [o plástico] não termine em aterros sanitários", disse. "Não existe uma solução única para todos os lugares, mas em todos os lugares pode haver uma solução que funcione."

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia