Bolsas

Câmbio

Valor da Netflix supera US$ 100 bi pela primeira vez

Lucas Shaw

(Bloomberg) -- A Netflix disparou no fim do pregão após um trimestre espetacular, ultrapassando a marca de US$ 100 bilhões em valor de mercado pela primeira vez e o serviço de vídeo entrou em uma posição elevada, ao lado de nomes como Goldman Sachs Group e Qualcomm.

A maior rede de televisão on-line do mundo reportou no fim da segunda-feira seu ano mais forte em crescimento de assinantes até o momento. A Netflix adicionou 24 milhões de clientes em 2017, elevando seu total global para 117,6 milhões. Nos últimos três meses do ano, a empresa com sede em Los Gatos, Califórnia, superou as estimativas de Wall Street e sugeriu que continuará a fazê-lo em 2018.

Enquanto as empresas de mídia rivais se fusionam, demitem funcionários e se preocupam com o futuro de seus negócios, a Netflix continua avançando a um ritmo constante, conquistando novos clientes nos EUA, na Europa e na América Latina. As vendas do quarto trimestre cresceram um terço, para US$ 3,29 bilhões, informou a empresa, e os resultados quase triplicaram em relação ao ano anterior, para US$ 0,41, conforme as estimativas.

A Netflix vai reinvestir tudo isso e muito mais em novos programas de TV e filmes. A empresa anunciou que gastará cerca de US$ 8 bilhões em programação neste ano e divulgou na segunda-feira que vai desembolsar mais US$ 2 bilhões em marketing. A Netflix também está aumentando drasticamente sua programação em outros idiomas, além do inglês, e tem planos para lançar 30 produções em idiomas locais em 2018.

As ações subiram 8,3 por cento, para US$ 246,55, no fim do pregão. Se esses preços se mantiverem na manhã desta terça-feira, será um novo pico para a ação, que já subiu 19 por cento neste ano até segunda-feira.

A Netflix registrou 8,33 milhões de clientes no quarto trimestre, superando as estimativas dos analistas, de 6,34 milhões, graças em grande parte à popularidade do seriado de ficção "Stranger Things" e do novo filme de Will Smith "Bright".

Esse sucesso inspirou o Facebook, a Apple e a Amazon.com a tentarem a sorte com programação original. Também estimulou rivais como a Walt Disney a investir mais em serviços on-line e a adquirir concorrentes. No entanto, a Netflix leva vantagem em relação a todos esses atores.

Ganhos internacionais

Os territórios internacionais representaram a maior parte do crescimento do número de assinantes e são essenciais para o futuro da Netflix, com adições de 6,36 milhões que superaram a média das estimativas dos analistas, de 5,05 milhões. A Netflix informou que Rodolphe Belmer, CEO da Eutelsat Communications, com sede em Paris, fará parte de seu conselho.

Os negócios nos EUA, onde o crescimento vinha diminuindo, também mostraram vigor. A empresa registrou 1,98 milhão de clientes novos no país, mais do que no ano passado e acima da estimativa dos analistas, de 1,29 milhão, de acordo com dados da Bloomberg.

A Netflix espera adicionar 6,35 milhões de clientes no primeiro trimestre, mais do que a média de 5,18 milhões projetada pelos analistas. Isso inclui 1,45 milhão de assinantes novos nos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos