ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Fortescue inclui Colômbia e Argentina em campanha de expansão

David Stringer

30/01/2018 11h13

(Bloomberg) -- A Fortescue Metals Group, do bilionário Andrew Forrest, está adicionando uma busca por cobre na Colômbia e por salmouras de lítio na Argentina como parte de sua iniciativa mundial para encontrar projetos de mineração a fim de se expandir além do minério de ferro.

A quarta maior exportadora mundial de minério de ferro está em busca de cobre e ouro nas Américas e também na Austrália, enquanto a nova equipe de gerenciamento da CEO Elizabeth Gaines intensifica as medidas para diversificar o portfólio da empresa.

"Esses sem dúvida são os principais candidatos", disse Gaines, que trocará o cargo de diretora financeira pelo de CEO no mês que vem, em entrevista por telefone, citando também a busca de lítio na Austrália Ocidental, perto de dois novos empreendimentos. "Nosso crescimento e nossa diversificação se concentram na exploração."

Ao invés de buscar aquisições ou ofertas de ativos para adicionar novas commodities, a Fortescue está "sendo muito disciplinada, não vamos entrar na onda de fusões e aquisições e pagar múltiplos significativos e prêmios altos -- estamos analisando isso com muita moderação", disse Gaines.

A América Latina -- incluindo Argentina, Colômbia e Equador -- registrou o maior aumento nos gastos com exploração em 2017, um incremento de 20 por cento, para cerca de US$ 2,4 bilhões, de acordo com a S&P Global Market Intelligence. A Barrick Gold adquiriu na semana passada uma participação na Royal Road Minerals, desenvolvendo projetos ao longo da fronteira sul da Colômbia.

A Fortescue se apresentou para 64 concessões de exploração na Colômbia, informou a produtora em um comunicado na terça-feira. Os terrenos se somariam aos ativos da empresa no Equador e os dois países vizinhos são possíveis candidatos para a descoberta de grandes jazidas de cobre e ouro, de acordo com o CEO Nev Power, que está de saída.

"Conseguir ganhar terreno em áreas com um potencial alto como essas é realmente vantajoso, deve-se procurar elefantes no país dos elefantes", disse Power na entrevista por telefone.

Embora o ressurgimento da Colômbia, após o fim de uma guerra civil que durou cinco décadas, esteja aumentando o potencial para empreendimentos de mineração, os projetos têm enfrentado oposição. A AngloGold Ashanti engavetou no ano passado um empreendimento no oeste do país depois que os habitantes votaram a favor de proibir a mineração na região.

"Entendemos que esta é a etapa inicial e que ainda há um longo caminho para percorrer, mas é importante chegar muito cedo e conseguir boas posições", disse Power na entrevista. "Reconhecemos que a Colômbia está começando a mudar e acreditamos que está mudando para melhor."

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia